sexta-feira, abril 30, 2004

Novos desenvolvimentos do "Caso Valdiran"

Novo "caso de polícia"
Após as graves situações acontecidas na noite de Sábado para Domingo, mais uma história de contornos recambolescos envolve Valdiran na noite de ontem (29 de Abril), para hoje (30 de Abril).
Segundo uma fonte bem informada, duas jovens passeavam um cão junto ao clube de vídeo no Bairro da EPUL, quando foram abordadas pelo Valdiran, descalço e em tronco nú, envergando uma faca na mão. Fugiram a gritar e logo alguns amigos acorreram em seu auxílio, tentando apanhar o ex-jogador do Belenenses. Segundo apurei, a polícia envolveu-se na "caça" a Valdiran, tendo encaminhado o Brasileiro para a esquadra. No entanto, Valdiran contradiz esta versão, alegando que ele sim foi perseguido por um grupo de jovens, amigos das vítimas de sábado, que pretendiam um ajuste de contas e foi ele próprio quem se refugiou na esquadra de Belém.
Independentemente de mais este triste episódio deste marginal, o Belenenses acordou por mútuo acordo a rescisão do contrato que ligava as duas partes esta manhã e Valdiran segue amanhã mesmo para o Brasil, fugindo assim, ao que parece, à justiça portuguesa...

Esclarecimentos sobre as divergências na "estória"

Em relação às dúvidas sobre a diferença de relatos entre o Correio da Manhã e o Blog do Belenenses, posso afirmar, com grande segurança, que a notícia do Correio da Manhã está errada em relação ao local da ocorrência que foi, de facto e como o Blog do Belenenses relatou, junto da BP do Restelo e a agressão não ocorreu no carro, mas sim num jardim. A improbabilidade da hipótese do triste episódio se ter dado na Repsol junto ao Estádio é justificada com o encerramento da mesma pelas 0:00, enquanto a BP do Restelo é um ponto de encontro habitual dos jovens da zona ocidental da cidade após essa hora.
Em relação à identificação do suspeito, as vítimas estiveram na PJ a visionar fotografias e não encontraram o agressor. Através da descrição, e do "mau nome" que Valdiran granjeou junto da vizinhança, e uma vez que nenhuma das vítimas é acompanhante assídua do mundo do futebol, foi-lhes ventilado que pudesse ser o tal jogador do Belenenses, e por esse facto dirigiram-se ao Site Oficial de forma a confirmar a indicação, o que sucedeu. Nada disto resulta de uma cabala contra o jogador, ou Belenenses, mas única e exclusivamente do comportamento criminoso e marginal da agora ex-atleta.

Exclusivo Blog do Belenenses

O Blog do Belenenses sabe de uma história, através de fonte altamente fidedigna, sobre um facto gravíssimo ocorrido com uma pessoa ligada ao Belenenses numa noite da passada semana:
Pelas 4 da madrugada, um casal encontrava-se a namorar num jardim nas Torres do Restelo, quando foi surpreendido por uma pessoa que se sentou a seu lado e entabulou conversa. Passado algum tempo, essa pessoa perguntou ao rapaz o que ele faria se, num jardim como aquele, áquela hora, um estranho agarrasse a namorada e lhe encostasse uma faca ao pescoço de forma a violá-la. O rapaz respondeu que não hesitaria em defendê-la, e nesse momento a pessoa em questão levantou-se, agarrou na rapariga e encostou-lhe uma faca. O rapaz saiu em auxilio da namorada e foi esfaqueado na barriga e no nariz, ficando ferido, mas com pouca gravidade.
O Blog do Belenenses sabe que a pessoa que atacou o casal está ligada ao Belenenses. A fonte não confirmou a identidade do agressor, que foi identificado pelas vítimas na 3ª feira à noite, através do Site Oficial do Belenenses.

Notícia do Correio da Manhã sobre este assunto
Notícia do Record sobre este assunto
Notícia de O Jogo sobre este assunto
Notícia de A Bola sobre este assunto

Notícia retirada de "O Jornal"
Os seguintes excertos foram retirados de uma notícia de um jornal brasileiro, "O Jornal", do Estado de Alagoas, onde jogava Valdiran antes de se transferir para o Restelo, ao serviço do Clube de Regatas Brasil:
«(...)
O jogador contou que estava na discoteca, onde conheceu a vendedora, e começaram a ingerir bebidas alcóolicas. Já embriagados e mantendo contatos mais íntimos, eles teriam deixado a casa de eventos por volta da 1h. Valdiran admite que estava embriagado e que tentou manter relações sexuais com Maria José, mas, diante da recusa da vendedora, teria deixado a mulher ir embora, sem maiores constrangimentos.

“Eu fiquei com ela e gastamos cerca de R$ 200,00 na boate. Depois, perguntei se ela queria sair comigo para um lugar mais reservado, e ela disse que queria. Quando ela desistiu, fiquei chateado, mas a deixei ir embora. Em nenhum momento forcei uma relação sexual”, defendeu-se o atleta. “Sei que quando estou embriagado perco a noção de muitas coisas e o autocontrole”, lamentou.
(...)
A versão da vítima, contada ao delegado Waldor Coimbra Lou, de plantão na Ciapc-III, é bem diferente. Segundo Maria José, ela estava na discoteca, na companhia de duas amigas, e as suas acompanhantes lhe apresentaram Valdiran. Depois de trocar beijos com o rapaz, ele a teria convidado para dar uma volta.

Eles teriam saído da boate e, ao entrarem num beco, o atleta teria se despido e forçado relações sexuais com ela, que conseguiu se desvencilhar do acusado e fugiu. A vítima disse ainda que, ao se afastar, Valdiran a teria perseguido completamente nu.
(...)
Valdiran não é réu primário. Há pouco mais de dois anos, ele foi preso no interior de São Paulo, quando era jogador do Mirassol, acusado de agredir fisicamente uma namorada. Ele admite que responde a processo pelo caso. Questionado sobre o fato, o jogador confirmou a acusação. “Eu estava saindo com a garota há pouco tempo, discutimos e, como eu estava embriagado, acabei batendo nela”, reconhece.

Segundo os dirigentes do CRB, a vida do jogador é lotada de percalços. Valdiran teria agredido fisicamente a esposa, grávida de dois meses, cujo nome não foi revelado e com quem ele convive há cerca de um ano, agressão esta que fez com que a jovem voltasse para a sua terra natal, Garanhuns (PE), e abandonasse o jogador.

Atualmente, ele estava morando na sede do CRB. O acusado afirma que a esposa havia viajado para Pernambuco a fim de visitar familiares e realizar exames médicos. As ações indevidas do atleta incluiriam “fugas” da concentração e atos de indisciplina

quinta-feira, abril 29, 2004

Rubem Amorim por mais um ano...

Segundo a edição de hoje do Jornal "O Jogo", o nosso jovem jogador Ruben Amorim assinou um contrato profissional com o Belenenses até 2005. Fica assim garantido o contributo desta promessa (ou certeza?) azul por mais uma temporada, depois de ter sido lançado por Bogicevic e de ter merecido a confiança de Augusto Inácio no derby lisboeta, frente ao Benfica.

Segundo o mesmo jornal, e contrariamente ao que noticiava o jornal "A Bola", Paulo Morgado poderá estar a braços com um processo disciplinar, o que é pode ser justificável no caso das preocupações transmitidas pelo técnico à comunicação social não terem sido antes e atempadamente comunicadas aos responsáveis azuís.

Como questionava Luis Lacerda, num comentário ao anterior post (precisamente sobre este tema) "Onde esta a razao n'OJogo ou no pasquim vermelho que tenta sempre denegrir o nosso clube e publicar tdo o que seja negativo ou depreciativo em relacao ao Belenenses? (...) Resposta urgente da Direccao solicita-se !!!!".

Paulo Morgado despedido?!?

Artigo publicado na edição de hoje do jornal "A Bola":

É proibido falar!

O impensável aconteceu. O treinador dos juvenis do Belenenses, Paulo Morgado, que há poucos dias conseguiu um feito inédito, foi... despedido. Não se tratou de uma decisão relacionada com maus resultados, tão-pouco com indisciplina ou incompetência, mas apenas... de uma entrevista. O técnico apontou a A BOLA alguns aspectos menos bons da política de formação do clube e a decisão de quem de direito foi dispensá-lo.

Paulo Morgado passou sete dos seus 29 anos no Belenenses. Já trabalhara com as escolinhas e era, actualmente, treinador dos juvenis e adjunto nos juniores. Mas foi como técnico principal que se distinguiu. No passado domingo, depois da vitória sobre o Benfica (4-0), que passou ao lado dos homens que conduzem o clube, o jovem técnico conquistou o direito de levar a sua equipa à terceira e última fase do campeonato nacional da categoria, algo inédito na história dos azuis. Uma proeza que coloca o clube no mesmo patamar de FC Porto, Boavista e Sporting. O grupo vai, no entanto, disputar, e pelo motivo mais impensável, o título de campeão órfão do seu mentor. Paulo Morgado foi convidado a dar uma entrevista a A BOLA no dia seguinte ao triunfo e, de uma forma franca e honesta, explicou que apesar do sucesso muitas coisas existem na política de formação do Belenenses que não estão bem. Lamentou o facto de as camadas jovens não terem a devida atenção e queixou-se da inexistência de prospecção, mas sempre com a intenção de alertar quem de direito para algo que pode e deve ser melhorado. Ontem de manhã, esteve no treino dos juniores e pouco tempo depois foi informado de que estava dispensado de funções. Tentou falar com a Administração, mas o resultado foi nulo. Nem sequer quiseram recebê-lo. Tudo isto, afinal, depois de os administradores terem constatado que havia um treinador no clube que fizera reparos na imprensa. Pouco interessava que tivesse conseguido um resultado de grande qualidade ou mesmo se as suas palavras eram acertadas...

quarta-feira, abril 28, 2004

Política não está à altura

Artigo publicado na edição de hoje do jornal "A Bola", da autoria de Nuno Reis:

Jovens do Belenenses brilham e treinador lança duras críticas para dentro do clube

Os juvenis do Belenenses conseguiram, no passado fim de semana, fazer história: pela primeira vez, e depois de golearem o Benfica (4-0), a equipa do clube da cruz de Cristo logrou alcançar a fase final do respectivo campeonato. O treinador do conjunto, Paulo Morgado, não esconde, todavia, alguma mágoa pela falta de atenção a que tem sido votada a formação do clube.
O país do futebol não passou ao lado do triunfo que o Belenenses conseguiu sobre o Rio Ave, mas apenas alguns sócios azuis saberão que, no mesmo dia, se fez história no Restelo.
A equipa de juvenis conseguiu, pela primeira vez desde que o campeonato da categoria se disputa em três fases, o apuramento para disputar o título nacional, ao lado de FC Porto, Boavista e Sporting, e depois de ter eliminado o Benfica.

Sucesso não foi acaso

Como foi possível? A resposta de Paulo Morgado, treinador de 29 anos, que já trabalha em Belém há 7, foi clara: «Não pode dizer-se que foi um acaso, pois trabalhámos muito durante a temporada, mas a verdade é que fica a dever-se exclusivamente a um grupo de jovens de grande valor. O Belenenses não tem uma política desportiva de formação à altura.»
Palavras fortes de quem não concorda com o facto de «cada equipa de formação trabalhar para seu lado, sem que alguém coordene todo o futebol juvenil».

Feito passou ao lado

A Direcção e a Administração azuis passaram ao lado deste feito inédito, mas nem é isso que mais o magoa:
«Não há prospecção, apenas contamos com os jogadores que aparecem no Restelo e com alguns atletas de equipas que defrontamos e que nos chamam a atenção.» Um justo prémio para a equipa «seria jogar contra o FC Porto, na primeira jornada da última fase, no relvado principal», lembrou, ainda, o técnico.
Para quem não sabia, foram estes os heróis: Queirós, Paquete, Nuno, Bráulio, Carlos Alves, João Oliveira, Manuel Mesquita, Tiago Figueiredo, Marcelo, Paulo Braga e Nogueira.

terça-feira, abril 27, 2004

A época que aí vem

O Belenenses iniciou esta temporada com um plantel fraco e com poucas soluções, que no entanto em Janeiro foi reforçado por alguns elementos válidos e que, acima de tudo, proporcionaram variedade ao treinador.
Condição essencial para a nova temporada é a definição do técnico que vai trabalhar no Belenenses na próxima época. Inácio está sem "bancada", mas após esta vitória, conseguindo uma vitória convincente sobre o europeu Braga poderia ganhar um capital de confiança que lhe mantivesse a posição. Mas em caso de saída, vários nomes se perfilam no horizonte azul, a saber: Nelo Vingada, José Couceiro, Manuel Cajuda, Marinho Peres, José Peseiro, entre outros.
Sinceramente, Inácio tem-me desiludido, mostrando-se um treinador com pouca capacidade para equipas que lutam para não descer. No entanto, o último jogo foi uma agradável surpresa, e talvez já começe a ambientar-se e a perceber que agora tem de jogar de outra forma. Gostava sinceramente que isso sucedesse, pois é uma pessoa sincera e em quem ainda tenho alguma esperança. A ver vamos.
Mas muitos outros problemas afectam o nosso Belenenses, desde a indefinição directiva até à instabilidade no plantel, com 12 jogadores em fim de contrato. E tudo isto numa altura em que os concorrentes directos se encontram já no mercado.
Quando regressámos à 1ª divisão em 1999, criámos uma espinha dorsal de uma equipa que tão boa conta de si tem dado: Marco Aurélio, Wilson, Filgueira e Tuck foram esteios de uma equipa sempre fustigada por entradas e saídas, mas com resultados a apresentar. Urge agora encarar a nova época como uma época em que se procuram novas referências dentro de campo, porque se Marco Aurélio ainda está para durar, o mesmo não se pode dizer dos outros 3, que devem continuar a ser referências do Belém, mas fora de campo. Sinceramente, acredito que dentro do plantel possuímos já alguns jogadores que pela sua qualidade e carácter podem desempenhar essas funções de espinha dorsal.
Continuando a contar com Marco Aurélio na baliza, a manutenção de Emerson significava continuarmos com um líbero de qualidade e que transmite confiança à equipa. Pélé, a meio campo, é já uma referência do Belenenses e muito nos custaram os 2/3 meses em que esteve lesionado. À sua frente, Neca, se conseguir que as lesões deixem de o apoquentar, é também um elemento a considerar. Na frente, Antchouet, pelo espírito de sacrifício patenteado e pela sua qualidade (sem apoio ninguém vai a lado nenhum) é outro dos símbolos azuis. Temos, assim, construído um eixo pelo qual poderia passar o futuro azul, sem esquecer outros nomes que bem enquadrados poderiam ajudar a formar uma equipa sólida: Andersson (para segurar e pensar o jogo), Sousa (com um médio a fechar o lado direito carrega muito jogo), Brasília (aplica-se o mesmo que a Sousa, para mim é um lateral ofensivo), Leandro (um médio capaz de recuperar bolas e lançar o ataque e que ainda conta com um remate forte) e Hugo Henrique (um verdadeiro matador, como se calhar não há outros em Portugal, mas já sei que aqui todos me olham de lado). Obviamente, os produtos dos escalões de formação também têm de ser levados em consideração, uma vez que Eliseu, Gonçalo Brandão, Fábio Rosa, Ruben Amorim ou Bruno Simão podem ser apostas muito válidas a curto/médio prazo. Estes nomes, com a entrada de mais 2 ou 3 jogadores (um central de marcação forte, um trinco e um extremo) fariam uma bela equipa.

Essencial, na minha opinião, é nunca mais caírmos no erro de ficar nas mãos do treinador. Seja ele qual for, e se for o Inácio, se é treinador do Belenenses (e se continuar a acertar como no último jogo) eu apoio-o. Toca a trabalhar...
Pedido de desculpas da Sport TV

Recebemos do Departamento de Relações Públicas da Sport TV o seguinte comunicado:

Comunicação da Direcção de Programas e Informação da Sport Tv

No final da transmissão do jogo de futebol da Superliga disputado ontem por Belenenses e Rio Ave puderam os nossos subscritores ouvir parte de um diálogo entre dois jornalistas que se referiram em tom de brincadeira e de forma manifestamente infeliz à forma como aconteceu a vitória da equipa do Restelo. Porque tais comentários não reflectem a verdade nem tão pouco a posição deste canal acerca do ocorrido no referido jogo, vem a Direcção de Programas e Informação lamentar estes factos e apresentar o seu pedido de desculpas aos dirigentes do Clube de Futebol “Os Belenenses” e do Rio Ave Futebol Clube bem como às respectivas massas associativas, e, em particular aos treinadores Augusto Inácio e Carlos Brito.

Nuno Marques Ferreira
Director de Programas e Informação da Sport Tv
Entrevista de Leandro
Entrevista de Leandro publicada pelo jornal "O Jogo" e realizada pelo jornalista André Cruz Martins:

«O brasileiro Leandro foi uma das figuras do jogo com o Rio Ave, tendo marcado um golo e estado bastante activo no flanco esquerdo. E confirmou-se a regra: com ele em campo, o Belenenses não perde na SuperLiga. Em quatro partidas, os azuis registaram três empates e uma vitória, e o jogador sente-se um talismã. "É verdade, parece que dou sorte ao Belenenses", referiu, bem-humorado. A única derrota em que Leandro esteve envolvido aconteceu no jogo com o Benfica, na Luz, em encontro a contar para as meias-finais da Taça de Portugal.

No jogo com o Rio Ave, o brasileiro estreou-se a marcar, e logo na cobrança irrepreensível de um livre directo, um tipo de lance em que Leandro se considera "especialista". O jogador explicou como foi o golo: "Os guarda-redes dão sempre um passo em frente, eu bati a bola e felizmente saiu bem." Ainda que não teça qualquer crítica às opções de Augusto Inácio, o médio espera ser mais utilizado de agora em diante: "Tive esta oportunidade no momento certo e penso que a aproveitei. É verdade que esperava ser mais utilizado, mas tenho de respeitar as opções do 'mister'. Mantive sempre a serenidade, continuei a treinar, esperando uma chance, pois sabia que mais tarde ou mais cedo ela apareceria."

Em caso de vitória no próximo jogo, em Paços de Ferreira, os azuis garantirão a permanência. Para Leandro, "o empate já seria um bom resultado, mas se sair a vitória, melhor ainda". Ficam no entanto os avisos para o valor do adversário: "O Paços tem uma boa equipa, com jogadores perigosos. Temos de jogar com calma e não cairmos em cima, até porque só dependemos de nós próprios."

O contrato entre Leandro e o Belenenses expira no final da época. O passe do brasileiro é pertença do empresário Óscar Dias, mas há hipóteses de o clube do Restelo comprar 50 por cento do valor em questão. Se dependesse de Leandro, já tinha havido renovação, como o jogador afirmou convictamente: "Sou muito feliz neste clube, que considero um dos grandes de Portugal. A Administração da SAD é formada por pessoas muito sérias e há boas condições de trabalho. Claro que quero continuar!"»

segunda-feira, abril 26, 2004

Torneio de Pro Evolution Soccer do Núcleo Ajuda/Belém

Como já aqui havia sido noticiado, teve lugar antes da partida de ontem a entrega da Taça ao vencedor do 1º Torneio de Pro-Evolution Soccer do Núcleo Ajuda/Belém, José Lameira.

Cerca das 9:00, em plena pista de Atletismo do Estádio do Restelo, José Lameira foi presenteado com uma bonita Taça, gentilmente oferecida pelo Director de Juventude do CF Belenenses, Luís Silva, simbolizando o título que agora ganhou e que terá de defender no próximo torneio, que se prevê muito concorrido, pois têm surgido várias solicitações para inscrições.


Luís Silva à esquerda e José Lameira à direita, no momento da entrega da Taça
Ainda o desrespeito da SporTv
Recebemos do adepto Alexandre Neves o seguinte poema inspirado nas vergonhosas palavras da noite de ontem, que passamos a publicar:

Dos genes perenes da gente de Belém
Nasceu o clube e fez-se a história,
Numa caminhada de suor e glória.
Da boa fé que nos move que ninguém ouse duvidar
Porque a direito vamos jamais buscando outras vias,
Íntegros nos bons e nos maus dias.
E quem muito fala pouco sabe de suas palavras
Que na voragem dos anos serão perdidas,
Na gloriosa história azul desaparecidas.
Gravíssimo!
Texto de Henrique Amaral publicado na Mailing List do Belenenses:

"Conversa entre o Prates (preparado para apresentar o programa a
seguir ao jogo) e alguém no estúdio em "voz-off" (VO), sem saberem
que estavam em directo:
VO: [como é que ficou o] Rio Ave?
Prates: 3-0, perdeu 3-0 com o Belenenses
VO: Eeeeeeeeeeh, quantos Euros é que recebeu?
Prates: É, foi um caso de amizade. Amizade ente o Carlos Brito e o
Inácio
VO: não foi o Carlos Brito que enterrou (?, ou entalou, já não me
lembro) o Inácio no Guimarães?
INTERRUPÇÃO"

Os factos relatados são gravíssimos e o Belenenses DEVE exigir que o assunto seja averiguado pelas entidades competentes e os acusadores sejam chamados à responsabilidade pelas suas declarações, quer pela empresa para que trabalham, que pela justiça! É incrível a falta de profissionalismo e de respeito. Será que terão pelo menos a seriedade de emitir um pedido público de desculpas?

Gostaria também que quem assistiu ao jogo pela SporTV e ouviu estas declarações confirmásse o teor do diálogo e se algo mais se ouviu.

É um escândalo!
Tirámos a barriga de misérias!

Grande vitória! Só tenho uma questão a colocar: porque não jogamos sempre assim? Com vontade, raça, querer e entreajuda. Como é mais fácil defender e atacar quando todos ajudam.

Hoje não vou falar dos erros que encontrei na equipa, até porque foram residuais e a perfeição é inatingível, e o nosso termo de comparação torna ridícula toda e qualquer crítica ao jogo de hoje. Temos de nos congratular pela exibição, e deixem-me que vos diga, pelo comportamento do público que apoiou a equipa do início ao fim da partida. Queria deixar uma nota especial para as claques, que não se calaram do princípio ao fim, esperando que esta situação seja para repetir em todos os jogos. Só gostava de ver o resto da bancada a ter interacção com as claques.

Por outro lado, gostava de agradecer à Direcção do Belenenses a oferta de uma Taça ao vencedor do Torneio de Pro-Evolution Soccer do Núcleo Ajuda/Belém, que foi entregue antes do jogo por Luís Silva ao vencedor, José Lameira.

Abordando directamente a partida, quero antes de mais dizer que esperava mais gente nas bancadas, mas como se costuma dizer, só fizeram falta os que lá estiveram. A equipa entrou relativamente bem na partida, dando muita luta a meio-campo (excelente Leandro, a defender e a lançar o ataque e Marco Paulo a "matar-se" todo, com o já habitual pêndulo Pelé) e defendendo bem.

O jogo estava numa toada morna, quando o Belém chega ao 1º golo, por intermédio de Leandro, num livre de excelente execução, quem sabe a querer mostrar que sabe e existe. Passados poucos minutos, Sousa (grande exibição) cruza com conta, peso e medida e Hugo Henrique cabeçeia com precisão para o segundo golo.

A segunda parte iniciou-se praticamente com a expulsão de Jaime, do Rio Ave, por palavras dirigidas ao árbitro assistente, à qual se seguiu um período de cerca de 5 minutos de aparente desnorte azul, em que o Rio Ave não saía do nosso meio-campo. No entanto, a equipa recompôs-se, e daí até ao fim foi uma sucessão de oportunidades perdidas, tendo só sido materializado mais um golo, através de Marco Paulo, cerca dos 80 minutos. No entanto, refira-se que o árbitro não viu um penalty a favor do Belenenses, mas a arbitragem esteve impecável (partindo do princípio que Jaime realmente se excedeu com o fiscal de linha).

Nota de destaque para as substituições de Inácio, todas elas acertadas: Hugo Henrique por Ceará (HH estava já esgotado e tinha cumprido a missão) ; Verona por Andersson (Verona foi um dos mais apagados azuis e estava a fazer cada vez mais asneiras e Andersson dá uma consistência enorme ao meio-campo) e Leandro por Eliseu (lesão de Leandro, que fez uma entorse do joelho, mas que em primeira análise não é grave).

Temos uma semana para saborear esta grande vitória, que nos faz respirar e encarar com mais optimismo o futuro.

Estatísticas do encontro
Belenenses:
Ataques - 39
Remates - 15
Cantos - 3
Faltas cometidas - 24
Foras de jogo - 0
Posse de bola - 49%

Rio Ave:
Ataques 24
Remates 10
Cantos 10
Faltas cometidas 14
Foras de jogo 1
Posse de bola 51%

Análise individual dos jogadores azuis

Marco Aurélio - Após uma primeira intervenção perfeitamente desastrosa e que assustou todo o estádio, partiu para uma exibição seguríssima e que transmitiu confiança a toda a equipa. 3

Sousa - Exibição de excelente classe, bem a defender, hoje bem apoiado por Marco Paulo, e extraordinário a atacar. Os seus detratores devem estar bem caladinhos, como uns quantos que estavam perto de mim. Há poucos que sentem a nossa camisola como ele, e hoje esteve simplesmente fantástico! 5

Emerson - Esteve seguro, mas já lhe vi exibições mais convincentes. Mas é sem dúvida reforço. 3

Paulo Sérgio - Autoritário, com Emerson parece ter sido encontrada a nossa dupla de centrais. Perigoso no ataque. 4

Carlos Fernandes - A melhor exibição dos últimos tempos, apesar de meramente suficiente. Nota positiva, mas a resvalar...3

Pelé - O pêndulo da equipa e um poço de força e energia. 3

Marco Paulo - Muito bem na vontade e entrega, apesar de continuar com alguns erros no capítulo do passe. Mas francas melhorias. E fechou muito bem o lado direito. 4

Verona - Exibição muito apagada, em especial no segundo tempo. Bem substituído! 1

Leandro - Um poço de energia, a destruír e construír, a roubar e a lançar, a vir atrás buscar jogo e a rasgar diagonais na frente. Muito bem, a justificar a titularidade. Excelente golo. 4

Antchouet - Talvez o melhor jogo no Restelo. Fantástico na entrega, na técnica e na velocidade. Faltou-lhe um golo para uma exibição inesquecível. 5

Hugo Henrique - O matador marcou e cumpriu a sua missão, como já se torna um hábito. Portanto, muito bem. 4

Ceará - Entrou bem para o lugar de HH e foi uma preocupação para a defesa minhota. 3

Andersson - Incrível como não entrou em Alverca quando precisámos de meio-campo. Fantástico na recuperação, posicionamento e passe. 4

Eliseu - Boa entrada, apesar de ter tido pouco tempo. No entanto integrou-se bem e ainda gizou alguns lances de perigo. 2

Fotos da partida

domingo, abril 25, 2004

Hoje é o primeiro dia do resto da nossa vida...


Esta noite, pelas 21:15, o Belenenses terá pela frente o jogo mais importante dos últimos anos, e que muito poderá definir do que poderá ser o futuro do Belenenses a curto/médio prazo. Uma vitória será um tónico importante para as 2 jornadas que faltam e os 3 pontos providenciais na acesa discussão pela manutenção. O empate será uma derrota e uma derrota o "olá" à 2ª Liga.

Muito temos discutido o nosso Belenenses, desde o topo da pirâmide até à sua base. Mas hoje, acima de tudo, temos de ser Belenenses de alma e coração e apoiar a equipa do 1º ao último minuto, independentemente de tudo o que se passe, do resultado ou das nossas divergências em relação a jogadores ou treinador. Temos de pensar que é o nosso Belenenses que está em jogo, e não o plantel 2003/04. O Belenenses é muito mais que 20 e tal homens que o servem. Foi construído com o suor e o saber de milhares de homens e merece (e granjeou ao longo dos tempos) o respeito de todo o país desportivo. Independentemente dos erros de gestão que possam ser apontados, a Superliga é o nosso lugar, bem como de outros como Guimarães ou Setúbal. E a nossa descida será o premiar do "dirigismo imediato" e do "municipalismo bacoco".

Somos todos Belenenses, vamos apoiar a nossa equipa! Tenho a sincera esperança de sentir um "inferno" no Restelo. Vamos incentivar os nossos jogadores e desmotivar os adverários. Nesta hora difícil, mostremos ao país desportivo que estamos presentes!

Após este prelúdio de mobilização de massas, passemos a aspectos mais técnicos: segundo o jornal "Record", Inácio fará alinhar Antchouet no lugar ocupado em Alverca por Ceará e a linha média será idêntica. No entanto, não se pronunciam sobre a linha defensiva. Por seu lado, o jornal "O Jogo" prevê também o regresso de Mangiarrati ao eixo defensivo. Pelo que conseguimos apurar, no treino da tarde de ontem, na equipa dos prováveis titulares alinharam Paulo Sérgio e Mangiarrati no eixo da defesa e Ceará ao lado de Antchouet no ataque.

Para finalizar, convido todos a aparecerem um bocadinho mais cedo no Estádio, pois antes do jogo, cerca das 21:00, será a entrega da Taça ao vencedor do Torneio de Pro-Evolution Soccer do Núcleo Ajuda/Belém, José Lameira.

Vão ao Restelo, levem a família e os amigos. Todos seremos poucos para apoiar o Belém!

sábado, abril 24, 2004

DREAM-TEAM VENCEU SEGUNDO JOGO


Foi perante um pavilhão com 2/3 das cadeiras ocupadas que o "dream-team" azul venceu o segundo jogo desta primeira eliminatória do play-off, tendo como adversário a equipa da Oliveirense.

O primeiro período foi bastante disputado, com uma fase inicial em que a Oliveirense foi mais agressiva e certa na defesa, e uma fase posterior (iniciada com um espectacular triplo de Kevin Melson) na qual se assistiu ao progressivo aparecimento dos jogadores azuis. Durante este primeiro período, o Belenenses chegou mesmo a construir uma vantagem confortável, acima da casa dos 10 pontos, que apenas não se dilatou devido a erros (mais ou menos grosseiros) da equipa de arbitragem, que de forma incompreensível condicionou ainda na fase inicial os dois norte-americanos do Belenenses (Kevin Melson e Omar Barlett), marcando duas faltas a cada um. O primeiro período termina com o resultado em 25-14.

O segundo período inicia-se com dois triplos para a equipa azul, marcados por Luis Costa e Jorge Coelho. Todavia, quando o Belenenses parecia embalar para uma vitória folgada, a equipa adversária demonstrou grande concentração e frieza. Foi ainda durante este período que Jorge Coelho alcançou as duas faltas pessoais, o que nesta fase do encontrou condicionou a estratégia de José Couto.

Foram então lançados para o encontro Victor Alemany, Daniel Monteiro e João Monteiro, jogadores que sairam do banco para mostrar grande valor e motivação. Foi todavia nesta altura que devido a um jogo exterior extremamente forte e a novos erros de arbitragem (transposição erradamente marcada a Daniel Monteiro à qual se sucedeu um triplo da Oliveirense) a equipa adversária se aproximou do Belenenses, tendo mesmo terminado a primeira parte do encontro com uma vantagem de um ponto: 39-40.

No terceiro período assistiu-se a uma grande sucessão de ataques falhados por parte do Belenenses, o que permitiu à Oliveirense manter a esperança de chegar à vitória. Todavia, e numa fase em que ja se encontrava lesionado, Omar Barlett fez a diferença (não apenas através dos pontos que marcou como também porque colocou o n.º10 da Oliverense, Damon Thornton, com 4 faltas pessoais). Nuno Marçal continuava a aproveitar alguns erros do Belenenses para lançar de 3 pontos com sucesso.

A equipa de arbitragem continuava também em evidência, e em poucos segundos marca 2 faltas a Luis Costa. Os jogadores azuís não se deixaram todavia intimidar, e chegaram ao final do 3º período com o jogo empatado a 65 pontos, deixando tudo em aberto para derradeira etapa do jogo.

O último período começa com um espectacular triplo de Nuno Perdigão, ao qual responde Carlos Seixas com um belo lançamento. 68-68, e o jogo parecia estar "para durar". Todavia, foi nesta altura que o espírito de equipa dos jogadores Belenenses sobressaiu: uma estratégia defensiva bem montada permitiu ao Belenenses chegar aos 81-70, com Melson a marcar 7 pontos seguidos.

O jogo todavia ainda não estava entregue à equipa azul. A 29 segundos do fim, e depois de diversas perdas de bola, a equipa nortenha encontrava a apenas 3 pontos (83-80). Tudo parecia ainda possível.

Barlett foi então para a linha de lance-livre, colocando o resultado em 84-80. Responderam os cinco de Oliveira de Azeméis com novos dois pontos, diminuindo a diferença para 2 pontos. Jorge Coelho sofre falta e concretiza mais dois pontos para o Belenenses (86-82). A Oliveirense responde com novos dois pontos, fixando a 5 segundos do fim o resultado em 86-84, todavia, a tarde era dos azuís e houve ainda tempo para aumentar a vantagem para 4 pontos. O jogou terminou com posse de bola para o Belenenses e o resultado fixado em 88-84.

Fica assim a equipa do Belenenses a uma vitória da segunda elimatória dos "Play-off". Recorde-se que a próxima partida é jogada em Oliveira de Azeméis, no próximo dia 29 de Abril. Que os nossos Guerreiros voltem com a presença garantida na próxima fase.







Declarações de Inácio

Augusto Inácio é figura central das notícias azuis nos jornais "O Jogo" e "A Bola".

Notícia de André Cruz Martins publicada no jornal "O Jogo":
"Augusto Inácio diz que o Belenenses tem de vencer amanhã o Rio Ave. Se assim não acontecer, a equipa poderá ficar numa situação dramática. "Temos consciência que é obrigatório vencer amanhã", confessou.

O técnico dos azuis não admite que os seus jogadores acusem a pressão do momento delicado que se vive no Restelo. "Temos de conviver com a pressão e os jogadores e os treinadores que se assustam ou se inibem com ela só têm uma coisa a fazer: mudar de profissão", referiu.

O clube viveu mais uma semana cheia de contrariedades, com muitos jogadores impedidos de se treinarem sem limitações. Apesar disso, Inácio defendeu que "o Belenenses tem de entrar domingo em campo para ganhar o jogo, apesar de ir defrontar uma equipa forte".

Entretanto, dos jogadores que estavam em dúvida para o desafio com os vila-condenses, só Brasília não recuperou. Para além do extremo-esquerdo, também Hélder Rosário, Neca e Filgueira estarão impossibilitados de jogar.

O dia de ontem ficou ainda marcado por um controlo anti-doping surpresa: os atletas sujeitos a análises foram Marco Aurélio e Bruno Simão."


Por seu turno, o jornal "A Bola" publicou mais ou menos as mesmas declarações de Inácio, com uma única nuance... é que este jornal refere a seguinte frase: "Nota-se que andam preocupados. Nenhum deles quer manchar o seu currículo com uma descida de divisão." Na certeza que muitos de vós hoje certamente comentariam esta frase, desde já expresso a minha opinião:
1º - descontextualizada, poderemos indagar se é plausível os jogadores considerarem que a descida de divisão mancha o seu curriculo e não o grandioso historial belenense. Mas pensem que esta é uma frase dita no meio de uma conversa como tantas que temos no dia-a-dia, em que nos saem frases que passados 30 segundos vemos que tinham um sentido totalmente diferente do que lhe queríamos dar. Mas deixo bem claro que apesar de querer pensar o que atrás referi, sei que Inácio disse (inadvertidamente) uma verdade.
2º - independentemente de tudo o resto, Domingo à noite temos uma final importantíssima. Temos de ganhar ao Rio Ave para manter a chama da manutenção acesa, e o apoio de todos na bancada é fundamental. Por favor, APOIEM A EQUIPA DO PRIMEIRO AO ÚLTIMO MINUTO, independentemente do que acontecer. Lembram-se que o Belém é muito maior do que aqueles a quem é dada a honra de envergar a sua camisola. Defendamos a nossa Instituição!
Convocatória para amanhã

O treinador do Belenenses, Augusto Inácio, convocou para o desafio com o Rio Ave os seguintes jogadores::
Guarda-redes - Marco Aurélio e Pedro Alves
Defesas - Emerson, Wilson, Paulo Sérgio, Sousa, Mangiarrati e Carlos Fernandes
Médios - Rui Borges, Tuck, ANderson, Marco Paulo, Leandro, Ruben Amorim, Eliseu, Verona e Pélé
Avançados - Antchouet, Hugo Henrique e Ceará

De realçar que Inácio convocou 20 jogadores, pelo que 2 dos presentes na lista serão excluídos da partida ante a equipa Vilacondense. Esperemos que Inácio seja coerente tanto na escolha dos 18, como do 11, como das substituições.

Qualquer que seja a equipa que entre em campo, APOIEM!

sexta-feira, abril 23, 2004

GUERREIROS "DESAFIAM" TODOS OS BELENENSES

«Desafio os adeptos do Belenenses a encherem o Pavilhão Acácio Rosa, no sábado, e outra vez contra a Oliveirense» - José Couto, treinador da nossa equipa de basquetebol.

Que resposta lhe darão os sócios e adeptos deste grande clube?
CRÓNICA DE UM E-MAIL INSPIRADOR

Estava eu a arrumar a secretária e a contar minutos para a hora de saída, depois de uma semana puxada de trabalho, quando recebo um e-mail do meu pai com o seguinte título: "Um brinde de fim-de-semana!!". Abri a mensagem e a única coisa que esta trazia era um anexo mp3, com um daqueles nomes de ficheiros esquisitos, que não lembram a ninguém. Mais uma daquelas brincadeiras de Internet, pensei.

"Cliquei" sobre o ficheiro e qual não é o meu espanto quando o Windows Media Player começa a tocar o Hino do Belenenses... Não queria acreditar.

O meu pai já foi sócio do Belém, mas deixou de o ser depois de muitas tristezas. Aliás a sua história de associado não é original. Muitos foram os sócios e amantes da "causa azul" que ao longo dos últimos anos, desgostosos com o rumo seguido, decidiram deixar para trás a paixão (muitas vezes avassaladora) que caracteriza os belenenses e descansar um pouco o coração de tantas tristezas e desilusões.

É precisamente por isso que este e-mail é tão inspirador. É que os belenenses têm esta capacidade de mais sentir o clube nos momentos mais difíceis... E mesmo aqueles que ao longo dos tempos adormeceram o sentimento de identificação profunda com o clube, acabam sempre por (mais cedo ou mais tarde) "regressar a casa", e dizer presente!

O nosso clube vive actualmente uma situação de extrema dificuldade. Os três jogos que faltam à equipa de futebol podem de certa forma determinar o futuro do Belém não apenas na próxima época, mas nos próximos anos. E é precisamente por isso que é tão necessário o apoio de todos os azuís de alma e coração não apenas à equipa que hoje representa o clube, mas antes ao clube enquanto instituição, história, memória e parte de cada um.

Cada vez sou mais belenense... Aliás, não somos todos?

quinta-feira, abril 22, 2004

Basquetebol: Vitória no Jogo 1 do Play-off



Ganhámos!!!
É verdade, ganhámos o 1º jogo dos quartos-de-final do Play-off contra o Oliveirense pelo resultado de 99 - 91.
Fica aqui registada a marcha do marcador: 1º Período: 30 - 19; 2º Período: 52 - 42; 3º Período: 77 - 65 e 4º Período: 99 - 91.

O Jogo 2 é já no próximo sábado (24/04/2004) no nosso Pavilhão, pelo que é fundamental o nosso apoio! Isto porque se ganhármos passamos imediatamente para as meias-finais, enquanto que se o resultado não for favorável ao Belenenses a decisão arrasta-se para o Jogo 3 (dia 29/04/2004) que se realiza no campo do adversário.

Por isso, força Guerreiros!!!
"SPRINT FINAL" NÃO EVITA DERROTA

A equipa sénior de Andebol foi esta noite derrotada pela formação do Sporting por 26-24.
Depois de uma primeira parte dominada pelos adversários, o Belenenses conseguiu equilibrar a partida e fazer tremer os jogadores leoninos.

Já no final do jogo, e quando o Belenenses dominava, Miguel Fernandes defendeu um livre de 7 metros, colocando um ponto final em mais um jogo da fase final da Liga de Andebol.

O próximo jogo da nossa equipa realiza-se no dia 24, no Pavilhão Acácio Rosa, contra o histórico ABC. Apesar do jogo ter transmissão directa através da televisão, importa recordar que a equipa bem precisa do apoio dos sócios e adeptos do Belenenses. Quem se deslocar ao Restelo poderá mesmo fazer um "2 em 1", uma vez que na mesma tarde a equipa de basquetebol disputa mais um jogo decisivo do play-off, com a Oliveirense...
As escolas em Belém, o Belém nas escolas
Nota de imprensa da Direcção do Belenenses, na pessoa de Luís Silva




"A VP de Relações Publicas e Juventude do CF os Belenenses vem com agrado
informar que inserido no Projecto " AS ESCOLAS EM BELÉM, O BELÉM NAS ESCOLAS" se
iniciou a primeira fase desta iniciativa que prevê a visita ao Complexo
Desportivo do Restelo de várias escolas da região da grande Lisboa.

Com efeito as instalações do Clube receberam ontem a visita de 70 Alunos e
Professores da Escola Secundária de Carcavelos, a 1ª de 8 escolas que até ao
final do mês de Maio visitarão o Restelo.

Nesta primeira fase do Projecto os jovens serão conduzidos numa visita guiada às
instalações do Clube com uma passagem pelas Piscinas, Pavilhão seguindo-se
depois o Museu do Clube e a obrigatória visita ao Estádio do Restelo. A visita
termina na sala de Imprensa onde os jovens terão a hipóteses de conviver e fazer
perguntas a dois jogadores do plantel.

Os jovens recebem documentação sobre o Belenenses e também um cachecol alusivo e
exclusivo da visita ao Complexo, oferta da firma Grafismo Têxtil que apoia esta
iniciativa.

A segunda fase deste projecto, a começar no início do próximo ano lectivo, prevê
a visita às escolas de atletas representativos das várias modalidades do
Belenenses."

Luís Filipe Silva
Director de Juventude do CF Belenenses
ACAUTELEM-SE...

O Jornal "A Bola" avisa: "Que se acautelem todos aqueles que não tenham em atenção o Belenenses, um conjunto que revela muito trabalho, que é sólido nas diversas facetas de um jogo, especialmente na forma como defende". E não é para menos, uma vez que a equipa dos Guerreiros demonstra invejável regularidade e uma capacidade para se transcender em momentos chave. Exemplo disso foi o jogo precisamente contra a equipa da Oliveirense, ainda durante a fase regular do campeonato.

Não deixa de ser curiosa a observação da mesma notícia, segundo a qual José Couto soube tirar partido de "desprezados" (a expressão é mesmo esta) de outras equipas, como Jorge Coelho, Luis Costa e Mário Jorge. Um deles já foi chamado à selecção e outros estarão a caminho.

Aos jogadores azuis pede-se aquilo a que já habituaram os sócios e adeptos do Belém: raça e empenho em defesa da Cruz de Cristo. Se assim acontecer, tornaremos menos complicada a árdua tarefa de bater em dois jogos a equipa da Oliveirense (uma formação recheada de bons jogadores, mas que viveu ao longo da época situações de grande instabilidade).

Força Guerreiros!
A palavra a Nuno Gomes
Artigo da autoria de Nuno Gomes, um sócio preocupado

"Companheiros, consócios, amigos.

Isto anda tão morto e eu sinto-me tão cansado... Acho que escrevo como forma de me automotivar, em jeito de preparação para mais um fim de semana de esforçado e abnegado sofrimento.

Bem tento não pensar nisso, e lembrar-me de todas as razões lógicas para não sofrer em demasia (há vida além do futebol, etc e tal) mas não consigo. Não me conformo com este destino anunciado, com este futuro provável o qual levaremos muito tempo a recuperar. Com esta pouca vergonha, de tanta gente que devia servir e apenas se serve. Nem sei como.

A crise desportiva instalou-se com a saída do ... do... do... sabem quem (ia escrever o nome mas só saem adjectivos vernáculos). Foi provocada, à priori, pela realização de um contrato de trabalho, regiamente favorável para o prestador, com incrivel cláusula de rescisão sem direito a indemnização em caso de saída extemporânea, que veio a acontecer (se estava lá e não é comum, é porque era para ser usada, daaaa!!!). É preciso ser muito estúpido para aceitar condições destas. Até parece que não havia mais treinadores (portugueses então...) disponíveis. Ficámos dependentes de um senhor (letra pequena) que tudo indicava estaria de saída a breve prazo e estaria desejoso de receber a esperada proposta. Mas não saiu sem antes despachar três jovens promissoras esperanças, que comparando com alguns que ficaram e outros que vieram, são autênticos Pelés (o outro, o velho - não desfazendo n'O' que temos), desbaratando aquele que já era um dos mais pobres plantéis da liga principal.

O que é criminoso é deixar impune o responsável por isto. De aceitar condições e riscos deste tipo num contrato de trabalho, daquele senhor (letra pequena), como se de um treinador de renome internacional se tratasse, daqueles com carradas de títulos, e que fazia um grande favor em coordenar o nosso futebol, nem que fosse por 4 meses. Mas não. Tratava-se mesmo daquele senhor (letra pequena) que por um acaso do destino se escapou ao provável - ser pescador.

Trouxe-se depois um desconhecido, que cometeu o crime (lesa-pátria) de pôr os meninos a trabalhar no duro, imagine-se o atrevimento. Não gostaram, fizeram queixinhas, puseram areia na engrenagem, perderam uns jogos (à conta do que entrámos no escorrega de que agora queremos sair) e... e lá mandaram o homem embora. Não estava comprometido com nada de negativo, até percebia umas coisas de bola mas foi vítima da ânsia de ócio dos coitadinhos que tinham de treinar duas vezes por dia alguns dias por semana.
Para comparação, este que lá está levou 2 meses ou mais a perceber que o Tuck é imprescindível para segurar o, caso contrário, inexistente meio campo defensivo. Tem um palmarés vergonhoso e teve 8 ou 9 reforços. E só gosta dos que ele escolheu.

O cabeça de giz, qual mente iluminada, lá continua a arrastar a carcaça e a fazer de conta que faz. Acumula agora com a função de avaliador de danos para seguros automóveis. Quase certo, continuaria, não fosse a saída do ainda 'maior' para servir cafés e atender telefones áquele do golfe, com um grande bronzeado - tipo pinho envernizado a mogno -, e cabelo lambido por gigantesca vaca com doença de Creutzfeldt-Jakob. Merda para a política.

Chamem-me o que quiserem mas acredito que o Tuck não está sozinho e ainda há jogadores que querem que a coisa resulte e que, apesar de tudo, consigamos ainda salvar a pele e para isso estão dispostos a sofrer e dar o litro. Sei que há!
Por isso deixo aqui um pedido, uma súplica ao jovem e ex-promissor futuro ex-treinador: Deixe jogar esses, deixe-se de invenções, deixe-se de ... ... deixe-nos em paz!"
Novidades

Segundo o jornal "Record" de hoje, há várias novidades interessantes a extraír:
- O Sueco Anders Andersson refere "Temos de realizar três partidas e vamos dar tudo por tudo para ficar na SuperLiga. Só espero que tenhamos um pouco de sorte.". Acho que diz muita coisa, primeiro que está disposto a dar tudo (não duvido) e era bom que o Inácio percebesse quem faz falta no 11 e em segundo lugar refere que é precisa sorte... boca para o Inácio e as suas ideias técnico-tácticas?
- Por outro lado, Hugo Henrique, Carlos Fernandes e Marco Aurélio têm contracturas e continuam em dúvida para Domingo. Eliseu sofreu uma entorse da tibiotarsica e também não treinou.
- Os estragos no autocarro não foram de 4.000 euros, mas sim de 750... uma pequena diferença.

Entretanto, "O Jogo" acrescenta ainda um outro dado: 80 alunos da Escola Secundária de Carcavelos estiveram no Restelo a ver o complexo desportivo e falaram com Sousa e Marco Aurélio no fim do treino. Por outro lado, os 3 jogadores em dúvida são vistos como tendo uma recuperação bastante provável para Domingo. Espero sinceramente que sim.

quarta-feira, abril 21, 2004

FIM DE SEMANA DESPORTIVO COMEÇA À 5ª

O fim de semana desportivo azul começa desta vez à 5ª feira, com dois importantes jogos, referentes às fases finais do basquetebol e do andebol.

Assim, a nossa equipa de andebol defronta amanhã, pelas 20 horas, no Pavilhão do Casal Vistoso, a equipa do Sporting, em jogo a contar para a fase final do Campeonato da modalidade. Segundo o site oficial do Sporting as entradas são gratuítas.

Uma hora mais tarde, o Pavilhão Acácio Rosa volta a receber os "Guerreiros" do basquetebol, para o primeiro de 3 jogos com a equipa da Oliveirense, 5ª classificada da fase regular.

Os dois jogos seguintes (que podem ser apenas 2 em caso de uma das equipas vencer os dois primeiros) têm lugar no Pavilhão Acácio Rosa (dia 24 de Abril, pelas 17 horas) e no Pavilhão Dr. Salvado Machado, em Oliveira de Azeméis (dia 29 de Abril, pelas 21 horas).

Recorde-se que para passar às meias-finais do play-off, a equipa do Belenenses deverá vencer 2 dos 3 jogos. Em caso de vitória, os "Guerreiros" irão defrontar o vencedor da eliminatória que disputam as equipas do Porto e do Seixal.
Estamos a meio do futuro

O Belenenses perdeu em Alverca e essa derrota, em especial pela forma cobarde e insípida como surgiu, gerou uma onde de descrença completa na massa associativa. Quando os adeptos dão tudo por tudo, vão aos jogos, pagam quotas, aumentos de 40% nos lugares cativos, até conseguem manter-se Belenenses tendo de aturar esta SAD, os atletas (excepto aquelas excepções do costume) mostram uma total falta de empenho. Por outro lado, o suposto timoneiro, que foi uma decepção completa para mim, passa o jogo encostado ao banco a ver a desgraça e só intervém para fazer um chorrilho de asneiras tácticas.

Perdemos em Alverca no último Domingo. Temos a verdadeira final este Domingo com o Rio Ave. A equipa, o treinador, os dirigentes e os adeptos têm todos de se consciencializar que o Belenenses é muito mais que a equipa que servem ou apoiam. É uma instituição que os nossos erros (de toda essa grande família Belenense) não podem levar ao abismo.

No entanto, suceda o que suceder, grande mudanças se perspectivam e impoem no Restelo. O provável abandono de Sequeira Nunes e vazio directivo, a acontecer em Maio implica eleições em Junho, tomada de posse em Julho e tudo isto com a época a começar em Agosto... uma época não planeada, que ainda nem sabemos em que competição será, num momento em que temos 12 jogadores a acabar contrato e mais uns quantos a precisarem de reforma e outros a quererem saír (Marco Aurélio, Pélé, Antchouet, ou seja, os poucos que valem alguma coisa).

O futuro é um vazio quer em termos desportivos, quer directivos. Como e o que será o nosso Belenenses daqui a 6 meses? Ninguém o pode prever. Mas o que podemos, e devemos, é "pensar" o Belenenses e discutir o futuro. Mas acho importante, em especial por a equipa estar a viver um momento tão delicado, não entrarmos em especulações nem suspeições. Parece-me que dificilmente alguém poderá objectivamente apontar à Direcção a mínima falha em lisura de processos ao longo destes anos, pelo que a minha opinião é que devemos confiar nas pessoas, até prova em contrário. Deixem-nos ganhar ao Rio Ave, e para a semana especulamos um bocadinho, com a equipa mais desafogada e nós com menos emoção a toldar-nos o discernimento.

Hoje é 4ª feira, 3 dias depois do jogo de Alverca, a 3 dias do jogo com o Rio Ave. Estamos a meio caminho do futuro. Estes 3 dias vão ser tão longos que parecerão eternos, tão eternos como a nossa paixão pelo Belenenses.

O medo instala-se nas hostes azuis: João Gonçalves falou

Segundo notícia do jornalista Francisco Frederico, publicada no jornal O Jogo de hoje, a comitiva Azul proveniente de Alverca não foi recebida da melhor forma no Estádio, tendo sido provocados danos na viatura que ascendem a 4.000 Euros. No entanto, João Gonçalves desdramatiza a situação e dá mais um voto de confiança à equipa. Quando será que no Restelo se percebe que o que eles precisam neste momento não é de um voto de confiança, mas sim de um chicote? Precisam de alguém que "parta a loiça" e lhes diga aquilo que vai no coração dos adeptos azuis: tristeza e impotência. Sinceramente, acho que já só pedimos dignidade, mas nem isso. Vi alguns jogos do Estrela da Amadora, e vi sempre os seus jogadores suarem a camisola. Vejo o Belenenses e vejo demasiadas vedetas em campo conjugadas com erros primários na gestão da equipa. Passo a publicar o artigo:

Reacção dos adeptos foi "normal"

A comitiva do Belenenses que regressou ao Restelo depois da derrota (1-0) em Alverca foi recebida por algumas dezenas de adeptos, que fizeram questão de manifestar o seu desagrado por mais um jogo decepcionante. Os estragos provocados no autocarro, segundo foi possível apurar, ascendem a 4 mil euros, mas para o presidente da SAD dos azuis não se passou nada de especial. "Era uma meia dúzia de pessoas desagradadas sem significado, que provocou pequenos arranhões na viatura. É normal. Havia um ambiente de frustração entre os adeptos, compreensível e com o qual eu concordo desde que não haja violência", sustentou João Gonçalves, para quem o revês não abalou as esperanças do clube em permanecer no convívio dos grandes: "Tínhamos grandes expectativas para este jogo, mas o resultado não foi o esperado. Ainda assim, temos confiança e vamos lutar até ao fim. Temos três jogos para disputar, dois dos quais em casa, e a equipa tem qualidade para vencer. Aliás, não perdemos a fé nela. Estamos convictos de que os jogadores vão dar a volta à situação, pois eles têm mostrado capacidade para ultrapassar as dificuldades."

Cinco em dúvida

O plantel retomou ontem os treinos, com vista a mais uma "final", desta feita em casa, frente ao Rio Ave, no próximo domingo. Em termos clínicos, o jogo com o Alverca provocou uma autêntica razia: Marco Aurélio (tendinite coxa direita), Eliseu (entorse na região tibiotársica direita), Carlos Fernandes e Hugo Henrique (contracturas nos gémeos) não se treinaram e estão em dúvida para o jogo com os vilacondenses, embora os dois primeiros reúnam melhores condições para jogar. Aos lesionados do momento, juntam-se ainda Brasília, a quem foi diagnosticada uma rotura na coxa direita, e Hélder Rosário, que ontem apenas correu. Para hoje estão previstas duas sessões, ao longo das quais Inácio irá começar a preparar a táctica para o encontro do fim-de-semana, a qual deverá registar alterações em relação à partida com os ribatejanos.

terça-feira, abril 20, 2004

Fim de tarde no Restelo

Hoje ao fim da tarde passei pelo Restelo. Quis sentir o pulso dos adeptos, ver a equipa a treinar, cheirar o Belém. Só vos digo que dou graças a Deus por ter visto o fim do treino do Basket, porque se fosse só pelo futebol...

Futebol

Cheguei já a uns 20 minutos do final do treino, mas ainda muito a tempo de me sentir um bocadinho mais assustado em relação à nossa equipa. Vi o fim de uma peladinha em que ninguém pressiona, ninguém faz cargas, carrinhos são miragens e raça idem aspas. Ao que me disseram, os titulares de Alverca foram poupados, no entanto o Marco Aurélio não treinou por lesão!!!!! Ai medo! De seguida, passaram a treinar finalização e nem vos digo nada: havia um jogador na ponta que tinha de driblar 2 postes e cruzar para o homem do meio rematar, tudo sem defesas pelo caminho! Podem não acreditar, mas quem tinha de driblar raramente conseguia não acertar num dos postes (!!!) e quem tinha de rematar raramente acertava na baliza. E viram-se remates absolutamente assustadores! Saí de cabeça baixa...

Basket

Entrei no pavilhão e havia umas 20 pessoas a ver o treino, entre elas o nosso bom amigo Duarte. Fiquei maravilhado! Vi Basket e vi uma equipa com vontade e um treinador interventivo!!! Que vontade de o colocar no futebol.
Mas vou agora partilhar convosco o que me maravilhou mais: a equipa estava a jogar com marcador e ronómetro em acção. Talvez já soubessem deste facto, mas pensem nos treinos do futebol e tirem as vossa ilações...
Ah, e o Duarte contou-me que quando uma equipa faz um erro, enchem as duas. Se fosse assim no futebol, já não tinhamos jogadores, tínhamos atletas de musculação!
Entrevista de Quaresma

Como quase todos vós sabem, o Quaresma é uma antiga glória Azul, tio do Quaresma "blaugrana", figura sempre presente e prestável no Estádio do Restelo. O que muitos desconhecem, é que o Quaresma é já uma figura incontornável do Núcleo Ajuda/Belém, onde aparece sempre ao fim da tarde para comer a sua sopa antes de ir para casa. E é uma grande honra poder assistir a jogos de futebol ao seu lado e ouvir os seus comentários (penso que ele nos faz tanta falta...). No Site Oficial descobri uma entrevista sua, ao "Mundo Desportivo", da autoria de Alberto Ferreira, e que a seguir reproduzo, na esperança que algum jogador azul e o Mister Inácio passem aqui pelo Blog e "acusem o toque" e compreendam que este clube é muito mais que um clube. Este clube é uma paixão!:

"Temos Belenenses. Não temos Belenenses. Os «pasteis» para a direita e para a esquerda. Pasteis, canela e açucar. «Matateu, cravo e canela». Acácio Rosa, saudosista Di Pace e Perez. Campeonato perdido no último minuto. Lágrimas nas Salésias, uma raiva tremenda do Martins, do Sporting. Fernando Vaz, Palico e Peres. A bola chutada da bandeirola de canto e que deu a volta ao Tejo antes de entrar na baliza do Benfica. Recordam-se ? E foi golo ou não foi, a bola saíu ou não saíu ?

Até há relativamente pouco tempo, o Belenenses, a gente belenense, vivia destas coisas, para distrair, para ajudar a «esquecer». Quando Carlos Serafim, partiu a perna, adeptos dos «azuis» modereram os lábios para não chorar. Era de mais. A família «azul» vive destas coisas. Lamúrias e fatalísmos. Um dia, um motorista de táxi declarou-me : «Eu já disse a um amigo meu que é do Belenenses : vocês adeptos dos «pasteis», mereciam uma estátua. Não ganham campeonatos mas continuam do Belenenses. Isto assim é bestial, é mesmo gostar, caramba!».

Era uma homenagem rudemente proferida mas de uma verdade transcendente, serena, poética e nobre. A gente do Belenenses não merece uma estátua : merece que a respeitem e isso representa um poema. Aprendê-lo-ão as crianças. O poema andará na boda do porvir.

Estas reflexões estou a fazê-las e, a espaços, também, a escrevê-las em Belém, nesta manhã de terça-feira. Belém, é um património curioso, multifacetado. A Torre. Os Jerónimos. O rio. O Restelo, o estádio, dispõe-se nas pontas dos pés, nessa pequena colina atrás dos Jerónimos. A Torre faz-me pensar em Capela, Vasco, Feliciano e Serafim. O Gomes também era alto. Só o Amaro destoava um pouco. Esse grande jogador em talento, em técnica de execução. Vi-o há dias, ao fim da tarde, no Rossio. O Amaro com cabelos brancos.

Estas ruas, algumas delas estreitas, sinuosas, cheiram a navegação e ao esforço de viver de muitas pessoas. São ruas que a «malta» do Belenenses trilha sem cessar. Passam por aqui os jogadores. Os miúdos apontam-nos. Nem sempre é cómodo ser-se jogador do Belenenses. Há piadas. Os risinhos. Mas, é-se qualquer coisa quando se é jogador do Belenenses. Estranha sensação que muitos jogadores, quase todos, têm dificuldades em explicar.

O Belenenses teve sempre jogadores com os quais o seu público se metia indevida e injustamente. O Narciso e o Teixeira da Silva aguentaram muita piada. Ultimamente, muitos adeptos entendiam que a culpa era do Quaresma, o defesa-central, hoje na linha média.

Vejo daqui a Junqueira. Penso nas Salésias. Nos defesas e nos médios, que o Belenenses tem tido. Vasco Oliveira, não virava a cara a ninguém. Nem nas Salésias, nem em parte alguma. Frade, Pinto de Almeida, o Rebelo, o Diamantino, jogaram na linha média. Feliciano, marcava as grandes penalidades com o pé esquerdo: era uma salva de canhão que podia ser utilizada nas cerimónias militares. O Belenenses devia estar agradecido ao Quaresma. Porquê ? Pensem só na maneira como o Belenenses vinha jogando nos últimos anos. Mais sobre a defesa do que outra coisa. Quaresma «esteve» em muitos dos golos sofridos ? Esteve, deve ter estado em alguns. Mas, evitou muitos. Foram mais os golos que evitou. Foram mais as tardes em que a sua presença na equipa belenense, no eixo da defesa, resultou positiva.

Quaresma está à minha frente :

- Eu ? Nasci precisamente aqui em Belém. Chamo-me Alfredo.
- Logo em Belém, Quaresma ! – disse-lhe eu.
- Nasci na Rua do Galvão. Sou mesmo daqui.

Era de perguntar. E perguntei :

- Quaresma, o que é que se sente quando se é jogador do Belenenses ?

O jogador «sentiu» a pergunta. E disse :

- Ser jogador do Belenenses é ter alegria de ser do Belenenses. Por vezes, essa alegria desaparece para deixar passar grandes tristezas. Não é muito fácil ser-se jogador do Belenenses mas, é bom ser do Belenenses.

Quaresma pensa e abandona o tema :

- Muitas vezes experimentei no Belenenses a imensa tristeza de não oferecer alegrias aos seus adeptos.

- Ouvia falar do êxito do Belenenses no campeonato nacional de 1946 ? – perguntei.

- Nessa ocasião eu só tinha três anos, mas depois lá fui ficando a conhecer a história desse título que o clube deseja ardentemente voltar a conquistar …

- Apenas quatro minutos ! Eu sei, eu sei. Por isso mesmo o maior desejo que guardo dentro de mim é não sair do Belenenses sem que o tenha ajudado a ser novamente campeão nacional. Seu que muitos sócios, adeptos e jogadores do Belenenses choraram de dor quando perdemos esse encontro com o Sporting, nas Salésias, a poucos minutos do final."
Como se diz "contrapartidas" em Italiano?

Que a selecção italiana utilizará o complexo desportivo do Restelo durante o Euro 2004 não é novidade para ninguém. O que foi esclarecido este fim de semana foram os contornos do negócio, que se cifram em 30.000 contos para o Belenenses e possibilidade de realizar a pré-época no Centro de Treino da Federação Italiana de Futebol, na bela Florença.

Não sendo uma verba que encha as medidas, é uma rentabilização do espaço desportivo e um motivo de orgulho para todos nós. Pena é estarmos em grande risco de ser a primeira equipa da 2ª Liga a realizar um estágio de pré-época em Itália...

domingo, abril 18, 2004

Haja coração! E juízo no banco.

Antes de mais, quero-vos pedir a todos que tenham calma, muita calma. Assistiram ao mesmo que eu e sinceramente não posso criticar de sobremaneira a 1ª parte. E a 2ª foi a desgraça que foi, em meu entender, devido a um erro já cometido com a Académica e que nos havia conduzido a uma goleada. Se para ganhar jogos fosse só colocar avançados em campo, então deixamos de contratar médios e defesas. Veja-se a linha com que terminámos o desafio:
- na baliza Marco Aurélio (que nos salvou de uns quantos golos)
- na defesa... Wilson à esquerda, ou talvez isso, Verona (!!!!!!!!!) à direita e Emerson ao meio
- no meio-campo (eu não lhe chamo meio-campo) Sousa à direita (uma das nossas melhores exibições e dos poucos a mostrar vontade de dar a volta ao texto, pena estar tão em baixo de forma, mas deu tudo), Pélé ao meio (o desgraçado nem percebia se era central ou médio de ataque tamanha a confusão) e Eliseu à esquerda (mas a jogar encostado ao ataque)
- na frente, Ceará (boa exibição), Hugo Henrique (forget him...) e Valdiran (pois pois)
- perdido, lá no meio, nem vou referir quem foi.

Amigo Inácio, admirei muito o trabalho que produziu em Alvalade e em Guimarães, tendo a perfeita convicção que o que sucedeu esta época no Minho uma sucessão de azares, de uma equipa que jogava bem mas à qual a bola teimava em ir ao poste e à barra. Mas no futebol, como em tudo na vida, temos de jogar com as trunfos que temos, ou seja, se não temos ovos suficientes para uma omolete, temos de fazer uns ovinhos mexidos ou escalfados. Mas alguma coisa! Não podemos atirar os ovos para a frigideira à balda!

Temos de ter noção do que fazemos e não entrar em desespero e, muito menos, demonstrá-lo para dentro de campo onde os jogadores já não percebem rigorosamente nada do que lhes é pedido. É impensável uma equipa que está a perder o meio-campo, a meio da segunda parte (e num jogo em que graças a Deus ainda não era de tudo ou nada) tirar o único homem que nos ia segurando o meio-campo para colocar a contratação mais dispendiosa, ridicula e falhada que já passou pelo Restelo. Qual Jetson, qual Monga, qual Byang-Min: o Mauro é mau demais para ser verdade! Como raio é que o homem continua a jogar?????

A primeira parte não correu mal de todo, aliás ao intervalo comentava que apesar do ascendente Ribatejano, para o que já vi esta época nem estava a ser nada mau, pese embora aquele (excelente) golo ao cair do pano. Mas havia ainda 45 minutos para jogar, Valdiran, Andersson, Hugo Henrique e até Marco Paulo no banco, os quais permitiam fazer alterações estratégicas importantes. E a segunda parte até começou, na minha opinião, de forma acertada com a saída do inócuo Rui Borges (incrível como é titular) e a entrada de Valdiran. Mas de seguida, a saída de Carlos Fernandes para a entrada de Hugo Henrique começou a assustar-me. Começei a ver o filme do jogo da Académica. O "fim da macacada" foi a saída de Tuck para a entrada de Mauro. Por favor, isto é para brincar????

Caramba, com os erros de casting do costume (Carlos Fernandes, dois liberos, Rui Borges) e a já mítica exclusão de Leandro, até jogámos qualquer coisa na primeira parte, muito por culpa do Ceará, que esteve muito activo e impôs respeito no último reduto do Alverca. Apesar de não ter (nem de perto) o "killer instinct" do Hugo Henrique, é sem dúvida mais útil numa equipa tão má como a nossa, que não consegue fazer um cruzamento em condições para um finalizador como o HH. Tivemos, inclusivé, duas ou três oportunidades nesse período... infelizmente não aproveitadas.

A segunda parte resume-se em poucas palavras: Salve-se quem puder!

Podíamos ter, com um empate, praticamente garantida a manutenção. Voltámos às contas. Talvez o nosso treinador pudesse ir lendo um bocadinho, descobrir a obra do grande Fernando Pessoa, e ler a primeira estrofe do "Quinto Império":

"Triste de quem vive em casa,
Contente com o seu lar,
Sem que um sonho, no erguer de asa
Faça até mais rubra a brasa
Da lareira a abandonar!"


Avaliação individual dos jogadores do Belenenses

Marco Aurélio - Tenho cada vez mais pena do nosso "craque". Ajudou a não saírmos com uma pesada derrota que psicologicamente nos abanaria ainda mais. 3

Sousa - Ouvi coisas incríveis sobre o Sousa na Central Superior. Tem raça! Sua a camisola! É digno! E foi dos melhores azuis. 3

Emerson - Teve um jogo certinho, lamentavelmente manchado pelo lance do golo. Mas temos jogador, não pode é jogar ao lado do Wilson. 2

Wilson - Broncas a defender, perdas de bola de sobra a atacar (ele é central, podiam lembrar-lhe isso?). Mesmo assim ainda safou algumas.2

Carlos Fernandes - O defesa esquerdo que me maravilhou até aos 23 anos era um sósia dele. Nem uma bola consegue dominar. 1

Tuck - Incansável, um tampão para as investidas do Alverca pelo centro, bem apoiado pelo Pelé. Um gigante dentro de campo, e na hora da saída soube-me Tão bem ouvir aquele incentivo para os companheiros deixados à deriva lá dentro. 4

Pelé - Tem feito muita falta ao Belenenses, filtra muito jogo, é um farol nas bolas paradas e até apoia a ligação defesa-ataque. Ia marcando na 2ª parte. 3

Verona - Esteve muito fraquinho ontem, nada saíu bem. Acabou, pareceu-me (nem dava para perceber bem), a defesa. 1

Rui Borges - Uma nulidade, fora de forma... assim não! 1

Eliseu - Uma exibição fracota, mas com vontade. Tem de controlar as picardias. 2

Ceará - Óptima estreia a titular, a mostrar que é mais útil a esta equipa sem jogo que o Hugo Henrique. Ia marcando um grande golo numa "bicicleta", e deu muito trabalho aos defesas Ribatejanos. 3

Valdiran - Passou ao lado da partida. 1

Hugo Henrique - Uma nulidade. 1

Mauro - O costume. 1
Hoje é dia de nervos

Cá estou eu, caros amigos, afundado em trabalho que quintuplicou desde que fui de férias e me quer complicar a deslocação a Alverca. Mas não conseguirá ser mais forte que eu, e logo lá estarei a apoiar os Azuis!

Mas outras surpresas tive hoje ao acordar: o excelente "post" do Luís Vieira sobre o jogo de Futsal de ontem e o "suposto" 11 para hoje, publicado no jornal "O Jogo". É um 11 diferente do normal, mais uma prova que para o Inácio acaba por ser irrelevante ter ou não os jogadores disponíveis, pois altera sempre a equipa.
Até posso perceber a colocação do Ceará em detrimento do Hugo Henrique. Mas agora que temos o Pélé de volta e podemos avançar o Andersson para o miolo, deixá-lo de fora é jogar "ás cegas". O Liliputiano Rui Borges vai andar a segurar o meio-campo, ainda para mais fora de forma como está??? Deixo, no entanto, uma palavra para a inclusão de Eliseu de início, pois já merecia uma oportunidade de jogar mais que 5 minutos.

Espero que muitos dos Bloguistas acompanhem a equipa, independentemente do mau tempo e das azias que o nosso clube nos vai dando. Eu vou estar na bancada a "sambar" a cada golo do Ceará!

É tão bom ser Belenenses, e encarar um jogo destes como se da discussão do título se tratasse. Acaba até por ser um exemplo para a vida, ensina-nos a encarar os obstáculos com naturalidade e a procurar sempre uma nova solução quando a anterior se esboroou.

FORÇA BELÉM!

sábado, abril 17, 2004

FUTSAL: Ultima jornada da 1ª fase

Fechámos a primeira fase do Campeonato Nacional da III Divisão de Futsal com mais uma goleada. Desta vez a vitima foi o 1º de Maio que perdeu por 9-1.

Este jogo, disputado no Pavilhão Acácio Rosa, serviu também para jogadores, equipa técnica e adeptos celebrarem a subida de divisão.

Publicamos de seguida algumas fotos do jogo de hoje tiradas por Adriano Simões que demonstram a espectacular relacção entre jogadores, equipa técnica e adeptos, neste caso a claque FANATICOS 1919.










Esperamos repetir estas cenas quando conquistarmos o titulo de campeões da III Divisão.
Passagem às meias-finais da Final 8 PT Comunicações
(Taça de Portugal em Basquetebol)



Crónica do jogo publicada no site da Federação Portuguesa de Basquetebol
Cabo das Tormentas em Oceano Azul


O Belenenses dobrou o Cabo das Tormentas de dois prolongamentos para traçar a sua rota em direcção ao mar das meias finais, derrotando a Oliveirense por 89-91. No segundo jogo da noite, o Sangalhos fez juz ao estatuto de surpresa da prova e ofereceu excelente réplica ao líder da Liga TMN. O Porto terminou o encontro com uma confortável vantagem de 29 pontos (68-97) embora a equipa bairradina saísse desta Final 8 com o respeito de todos os amantes da modalidade. A segunda jornada foi um Oceano Azul que amanhã estará certamente revolto na luta pelo acesso à final.

Emoção não faltou no segundo dia desta Final 8 da Taça de Portugal. Foram necessários dois prolongamentos para o Belenenses afundar a nau de Oliveira de Azeméis numa batalha sem tréguas, que só terminou com o último tiro de Kevin Melson em cima do apito final do segundo tempo de desempate.

Num jogo intenso, mas nem sempre bem jogado, o equilíbrio foi o rota que orientou toda a partida e a emoção tomou conta de todos os jogadores e assistência que não regatearam incentivos às equipas.

Ao intervalo, a Oliveirense tinha conquistado uma pequena vantagem (45-36) que depois se esfumou, assistindo-se posteriormente a muitas alternâncias no marcador, terminando o tempo regulamentar com um empate a 73 pontos.

No prolongamento imperaram os nervos e com novo empate, desta feita a 80 pontos, o jogo atingia o seu segundo prolongamento, onde o Belenenses foi mais forte, conquistando pequena vantagem que se voltou a esfumar muito perto do final. Quando perdigão penetrou e falhou a bandeja, esteve iminente o terceiro prolongamento mas, Kevin Melson velejou sobre um mar de jogadores para um decisivo ressalto ofensivo e consequente cesto que levou o Belenenses a dobrar o cabo das tormentas e navegar rumo ao oceano de emoções das meias finais.

Luís Costa (19 pts) e Omar Barlett (26) com superior condução de Perdigão (15 pts/10 ass) foram os pilares da equipa do Restelo. Thornton, Mott e Seixas destacaram-se nos oliveirenses.

O Sangalhos entrou em campo suportado por uma numerosa claque que se deslocou a Lisboa para apoiar a grande surpresa desta edição da Taça de Portugal, fazendo juz ao lema da prova – A FESTA.

E a surpresa prolongou-se até ao intervalo, onde o Sangalhos perdia apenas por 8 pontos (42-50), obrigando o Porto a manter-se concentrado no jogo e a ter que jogar com todas as suas armas.

Mas, no terceiro período, uma onda gigantesca de basquetebol portista assolou a equipa sangalhense e o parcial de 13-28 colocou à deriva a briosa caravela do Sangalhos que velejará de volta ao seu porto com o sentimento de dever cumprido, apesar da derrota por 29 pontos de diferença (68-97).

Individualmente, Sherick Simpson remou contra a maré com 22 pontos marcados. No porto destaque para o colectivo embora Heshimu e Stanback tenham estado ligeiramente acima dos companheiros.

Amanhã (HOJE), as Meias Finais começam com um excitante Queluz Sintra PM/Ovarense Aerosoles, às 14:30, seguido do embate azul entre Belenenses Montepio Lusifor e Porto Ferpinta, às 16:45.




Vejam estas fotos do Luís Silva e adivinhem quem esteve no Pavilhão Atlântico a apoiar a equipa de Basquetebol.






GRANDE TUCK


Imagens de:
Luis Silva
Federação Portuguesa de Basquetebol (www.fpb.pt)
Liga de Clubes de Basquetebol (www.lcb.pt)

Fontes:

sexta-feira, abril 16, 2004

Convocados para Alverca

Eis a lista de convocados para o jogo de Domingo, em Alverca, mais uma contribuição do "Pesquisador-Mor":
Guarda-Redes - Marco Aurélio e Pedro Alves
Defesas - Sousa, Paulo Sérgio, Emerson, Wilson, Carlos Fernandes
Médios - Marco Paulo, Andersson, Verona, Eliseu, Pelé, Brasília, Tuck, Rui Borges, Leandro
Avançados - Ceará, Hugo Henrique, Valdiran e Mauro

Enfoque-se o facto de terem sido convocados 20 atletas, pelo que 2 terão de ser preteridos. Há também que contar com o excesso de estrangeiros, pelo que pelo menos 1 dos estrangeiros sairá. Eu gostava que fosse o Ceará (penso que é um dos estrangeiros), mas "cheira-me" que a corda vai partir pelo lado do Leandro.

Eis um pequeno exercício, em que eu, empossado de Prof. Onaikul, tento visualizar o pensamento do Inácio:
Marco Aurélio ; Sousa, Emerson, Wilson e Carlos Fernandes ; Pélé e Tuck ; Brasília, Verona e Andersson ; Hugo "El Matador" Henrique. Isto é o que me parece que o Inácio faça, mas jamais faria eu uma equipa assim. É preciso ambição e vontade, e o futebol tem de se jogar com velocidade e a toda a largura do campo. Mas, acima de tudo, quero ver os nossos jogadores a fazerem "das tripas coração".

E vocês, têm sugestões?

Todos a Alverca



Meus amigos, a Fúria Azul está a organizar a deslocação a Alverca de autocarro, pelo preço simbólico de 1 €uro. É uma boa forma de todos nos deslocarmos a tão importante jogo, deixando de lado o carro, a gasolina, as portagens, o "andar à procura" do estádio e, acima de tudo, irmos todos juntos num espectacular convívio (fala-vos quem foi desta forma à Luz e ficou cheio de vontade de repetir a experiência).

Os preços dos bilhetes estão já definidos, sendo de 7,5€ para o topo e 10€ para a central. O Alverca é um clube sério, até no preço dos bilhetes isso é notório. Espero que o Belém ganhe, mas não queria que o Alverca descesse. Foi espectacular ver o jogo do Belenenses na Gelataria Britaica, em Lagos, e sentir que o Algarve está todo a torcer para que o Belém fique na Superliga. Para além de ser um histórico, é dos poucos do Sul. E como fiquei com pena ao ouvi-los falar da ausência do Sul na Superliga. O Algarve merece... mas um dia destes hei-de dissertar aqui no Blog sobre a ausência do Sul, a predominância do Norte, e esse caso caricato, mas seríssimo, que seu pelo nome de Campomaiorense.


Rui Borges volta a "casa"
Notícia da autoria do jornalista Francisco Frederico, publicada no jornal "O Jogo" de hoje:

Marcar sem festejar

O destino pregou uma pequena partida a Rui Borges: no próximo domingo, o médio dos azuis estará de regresso à "casa" que o projectou para a alta-roda do futebol. "O Belenenses é o meu clube, e por ele darei tudo, mas não escondo que o Alverca está no meu coração. Foi lá que me afirmei como profissional e, até ao início desta época, antes de ser ultrapassado pelo Veríssimo, era o atleta do clube com mais jogos no escalão principal", relembrou o agora jogador do emblema do Restelo, que já tem uma ideia da forma como reagirá na eventualidade de marcar um golo à antiga equipa: "Os festejos vão ter de ficar para mais tarde. Se o Alverca estivesse numa situação mais tranquila até poderia fazê-lo, mas assim, por respeito aos dirigentes e adeptos alverquenses, que sempre me trataram bem, entendo que deverei ser comedido."

Rui Borges não quer, todavia, misturar o dever com os apelos do coração."Numa situação destas, a razão prevalece sempre sobre as emoções. Sou jogador do Belenenses e vou lutar por esta camisola até ao último minuto. É um ponto de honra para mim e não admito que questionem o meu profissionalismo", sublinha o camisola 21 da turma do Restelo, para quem o apreço pelo emblema do Ribatejo advém também da forma correcta como sempre foi tratado: "Quando me comprometi com o Belenenses ainda faltavam meia dúzia de jogos para o final do campeonato, estávamos a lutar para não descer, e nem por isso as pessoas do Alverca deixaram de confiar em mim." É por isso que o desejo de Rui Borges para belenenses e alverquenses não poderia ser outro: "O que eu gostava mesmo é que ambos conseguissem manter-se [na SuperLiga], mas o mais importante para mim é que o Belenenses atinja esse objectivo."

Em relação à preparação da equipa, a grande novidade do único treino do dia, que decorreu ontem de manhã à porta fechada, residiu no regresso em pleno de Hugo Henrique, que será assim mais uma opção de peso para o decisivo encontro do fim-de-semana.


Marco Paulo optimista
Notícia da autoria da jornalista Carla Pereira, publicada no jornal "Record" de hoje:

OPTIMISTA PARA O JOGO EM ALVERCA
Marco Paulo: «Vitória dá manutenção»

No Restelo todos têm consciência que o jogo com o Alverca é um dos mais importantes da época, dada a situação pontual do Belenenses e do próprio clube ribatejano.

Marco Paulo aborda o encontro de domingo com serenidade, embora sublinhe a importância do mesmo: "É, de facto, um jogo importante, que procuraremos ganhar. Uma vitória em Alverca garante a manutenção."

Relativamente ao plano de trabalhos para esta semana, o médio assegura que este não sofreu alterações em relação aos outros encontros: "O plano de trabalho é mais ou menos o mesmo. Não houve grandes alterações. Não há muito a mudar. Estamos a trabalhar de forma estável."

Questionado a comentar a vantagem que o Belenenses detém nas deslocações a Alverca, onde em três jogos soma duas vitórias e um empate, o jogador é sintomático: "A tradição vale o que vale. O objectivo é vencer o encontro, mas se não for possível, pelo menos que o Belenenses consiga pontuar."

Para já, a formação orientada por Augusto Inácio tem vantagem sobre o Alverca, pois no encontro da primeira volta (o único que o ex-técnico Vladislav Bogicevic venceu), os azuis ganharam por 2-0.

Nesta altura, o Belenenses tem mais dois pontos (31) do que o Alverca (29) e dispõe ainda da vantagem do encontro da primeira volta. Assim, para os ribatejanos conseguirem superar esta desvantagem teriam de vencer por 3-0. No caso do desfecho do jogo ser favorável aos locais por 2-0, então aí o desempate faz-se por coeficiente entre golos marcados e sofridos por ambos.

Se o Belenenses vencer, o Alverca fica numa situação ainda mais complicada do que a actual, pois irá distar cinco pontos de um dos opositores directos na luta pela permanência, faltando apenas disputar três jogos.

Mas, para além do Alverca-Belenenses, realiza-se este fim-de-semana um jogo igualmente importante na luta pela permanência, o Paços de Ferreira-V. Guimarães. Dois jogos que podem definir quem fica.

Estratégia à porta fechada

O Belenenses ensaiou ontem de manhã a estratégia para o jogo de domingo, em Alverca, no relvado principal, longe dos olhares do público.

A sessão, que durou cerca de hora e meia, incidiu, entre outros aspectos, nos lances de bola parada. Quanto à equipa, e dada a ausência de Antchouet, por castigo, é provável que Inácio alinhe só com um avançado (Hugo Henrique) e reforce a o meio-campo. A equipa volta a treinar hoje pelas 10 horas.


"Material" novo no Núcleo... à atenção dos Bloguistas

Acabei de chegar do Núcleo Ajuda/Belém, onde fui receber 2 computadores oferecidos pela Junta de Freguesia de Sta. Maria de Belém, e que muito jeito nos vão dar em termos administrativos, mas não só. De facto, estando instalada a NetCabo, providenciaremos um serviço de acesso à Internet para os sócios do Núcleo, e permitirá também o acesso à Internet dos possuídores de computadores portáteis com acesso à rede Wireless... não digam que o Núcleo não pensa em todos!!!

Tendo já os computadores instalados em rede, está para breve o lançamento de novos torneios, por exemplo de FIFA 2004... a seu tempo terão todas as informações no Blog.

Já agora, gostaria de colocar um pedido: para oferecermos o acesso à Internet aos associados, precisamos de alguém para monitorizar a sua utilização. Uma vez que todos nós trabalhamos, gostaria de saber se há algum Bloguista estudante, ou com umas tardes livres, que nos pudesse ajudar nesta tarefa. Como é óbvio, no Núcleo todos trabalhamos por devoção e amor à causa Belenense, pelo que o que temos para oferecer é trabalho, não é emprego!!! :) Falando mais a sério, se alguém nos pudesse ajudar contacte-me aqui pelo Blog ou para o e-mail, de forma a conversarmos.

quinta-feira, abril 15, 2004

Voltei e estou "nas nuvéns"!

Caros amigos, após uma merecida semaninha de férias na "dolce fare niente" Lagos, voltei e estou boquiaberto: logo no único dia em que não comprei "O Jogo" (hoje) vem mais uma referência ao Blog ; começo a "puxar" o Blog para baixo, e dou de caras com imagens... LUÍS VIEIRA, és GRANDE!!!

Vou agora "ver" o que se tem passado por estes dias e depois descansar, que bem preciso, que hoje foi dia de limpeza e viagem... :( Abraços a todos!
Números de uma época

Artigo escrito por Francisco Frederico escrito no jornal O JOGO.
Sabia que o clube do Restelo ainda não ganhou nem à sexta-feira, nem ao sábado, e que a segunda-feira é o dia que mais pontos rendeu? Que sofre e marca mais golos no último quarto-de-hora dos jogos? Que foi o "vice-campeão" de Setembro, mas o segundo pior em Janeiro?
O desconforto que Augusto Inácio revelou nas últimas semanas em relação aos jogos à segunda-feira não tem afinal qualquer razão de ser. Numa análise levada a cabo pelo sítio da Internet http://belenenses.blogspot.com - e por Luís Vieira -, a conclusão é evidente: o Belenenses conseguiu o maior número de pontos da época precisamente nesse dia. No total, foram 15 pontos (quase metade do pecúlio actual!), traduzidos em quatro vitórias, três empates e apenas duas derrotas. As sextas-feiras e os sábados, ao invés, revelaram-se desastrosos: nem uma vitória. As explicações para estes números são variadas, mas uma delas pode residir no facto de os jogadores azuis reagirem melhor quando estão sob pressão. Ou seja: quando jogaram conhecendo os resultados dos adversários, a resposta foi (quase sempre) positiva. O próximo encontro em Alverca - que é decisivo, por sinal - terá lugar num domingo, o segundo dia mais produtivo para a turma do Restelo, embora com resultados equilibrados: 10 jogos, três vitórias, outros tantos empates e quatro derrotas. Em suma, o domingo rendeu 12 pontos.
Curiosa é também a pesquisa feita no sítio http://www.azuldorestelo.blogspot.com (por Pedro Domingues), relativa às fases do jogo em que o Belenenses marca e sofre golos. Um dado salta à vista: é no último quarto de hora que a equipa revela maior vulnerabilidade, mas é também nessa altura que se mostra mais concretizadora. Dos 50 tentos sofridos, 13 deles surgiram entre os 76' e 90'. Mais: do total de golos sofridos até agora, a maior parte (31) aconteceu após o intervalo. O mesmo se pode dizer em relação aos remates certeiros... com uma ressalva: o segundo período em que os azuis mais acertam nas balizas é o primeiro quarto de hora.
Ainda no mesmo sítio, foi criado um "ranking" mensal para a "performance" belenense. O mês de Agosto foi o pior de todos, mas apenas registou uma partida, em Alvalade (derrota por 4-2), razão pela qual a equipa ficou classificada no penúltimo lugar da classificação. Em Setembro, pelo contrário, deu-se uma recuperação notável, fruto de três vitórias e dois empates. O pior veio no trimestre seguinte, com os triunfos a rarearem (nem um em Outubro e Novembro) e o consequente trambolhão na classificação. É em Janeiro que chega o período mais negro, que resultou no regresso ao 17º posto e coincidiu também com a saída de Bogicevic e as primeiras semanas de Inácio. Desde dessa altura, o percurso voltou outra vez a ser ascendente: 15º em Fevereiro, 12º em Março e 11º em Abril.
Por fim, uma referência para a média de assistências no Restelo: 4653 espectadores. Para ter um ponto de referência, o clube lisboeta tem uma taxa de ocupação dos lugares disponíveis no estádio (40 000 lugares) de 11 por cento, sendo por isso o 10º clube com mais público da SuperLiga.
Brasília já treinou sem limitações

Notícia publicada no jornal Record.

O extremo-esquerdo Brasília, integrou ontem o treino sem limitações. O jogador, que tinha sofrido um traumatismo no pé esquerdo, já treinou e é mais uma opção para Inácio no importante jogo com o Alverca.
Refira-se que o brasileiro foi um dos oito reforços de Inverno dos azuis sendo, desde então, um dos jogadores mais utilizados por Augusto Inácio. Brasília estreou-se frente ao V. Guimarães, a 16 de Fevereiro (22ª jornada) e, a partir daí, foi sempre titular, à excepção do jogo com o Beira-Mar, onde não jogou por estar lesionado.
Para além do regresso de Brasília, o técnico pode ainda contar com o lateral Sousa, que cumpriu um jogo de castigo na última jornada.
A equipa técnica começou ontem a preparar o embate de domingo, tendo os jogadores titulares feito apenas treino de descompressão. Entre o grupo de trabalho o ambiente é de optimismo moderado. Todos estão conscientes de que a deslocação a Alverca, já por si não é fácil mas que, neste momento, complica-se ainda mais dada a situação dos ribatejanos, que se encontram na zona de despromoção.
Hoje, a equipa treina de manhã, à porta fechada. A decisão não é inédita e, dada a importância do jogo com o Alverca, acaba por não se estranhar.
Viagem a um euro!
O entusiasmo em redor dos adeptos também é grande e o próprio clube está a organizar excursões ao recinto da formação alverquense. O curioso é que o preço da viagem é apenas de um euro, isto é, um valor meramente simbólico e que pretende incentivar os sócios e adeptos a deslocarem-se a Alverca no domingo.

terça-feira, abril 13, 2004

Próximo adversário: ALVERCA!!



Resultados dos encontros entre Belenenses e Alverca:

1999/00 - 19-09-1999 - FC Alverca - 4 : 2 - C
1999/00 - 13-02-2000 - FC Alverca - 1 : 1 - F

2000/01 - 16-12-2001 - FC Alverca - 1 : 0 - C
2000/01 - 13-05-2001 - FC Alverca - 3 : 0 - F

2001/02 - 04-11-2001 - FC Alverca - 1 : 1 - C
2001/02 - 24-03-2002 - FC Alverca - 1 : 0 - F

E já este ano ganhámos 2-0 no Restelo.

Ou seja, 5 vitórias e 2 empates. Nos jogos em casa do Alverca, 2 vitórias e 1 empate.

Nunca perdemos com eles por isso vamos pensar positivo!
Por outro lado, os jogos nunca tiveram a importância que este vai ter...

Já agora, aproveitem para ir ver OS HOMENS QUE MORDEM O BELEM em www.osbelenenses.zip.to/ohqmob que tem novidades!

segunda-feira, abril 12, 2004

Vitória (sofrida) à segunda-feira

Com mais um jogo a sofrer esta foi apenas a 7ª vitória do campeonato em 30 jornadas!
Deixo a análise do jogo para o Luciano, mas vou deixar aqui uns dados interessantes.

Muito se tem falado sobre os jogos à segunda-feira. Fala-se que depois de se saber os resultados dos nossos adversários jogamos sobre maior pressão, que os jogos a essa hora e ainda por cima transmitidos na televisão retira adeptos do estádio, etc... Mas vamos ver o seguinte:

Foram jogados à sexta-feira 3 jogos, sempre fora de casa:
07ª Jornada - 03-10-2003 - Boavista - Belenenses - 1 - 1
11ª Jornada - 07-11-2003 - Gil Vicente - Belenenses - 0 - 0
25ª Jornada - 05-03-2004 - F.C.Porto - Belenenses - 4 - 1

Resumidamente:
Vitórias - 0 (0%)
Empates - 2 (67%)
Derrotas - 1 (33%)

O Belem já realizou 8 jogos ao Sábado:
02ª Jornada - 23-08-2003 - Sporting - Belenenses - 4 - 1
08ª Jornada - 18-10-2003 - Belenenses - FC Porto - 1 - 4
12ª Jornada - 29-11-2003 - Belenenses - Maritimo - 2 - 2
16ª Jornada - 03-01-2004 - Belenenses - P. Ferreira - 0 - 2
19ª Jornada - 24-01-2004 - Belenenses - Sporting - 1 - 3
23ª Jornada - 21-02-2004 - Belenenses - Académica - 0 - 5
24ª Jornada - 28-02-2004 - Belenenses - Boavista - 1 - 1
26ª Jornada - 13-03-2004 - Belenenses - C.D. Nacional - 0 - 1

Em resumo:
Vitórias - 0 (0%)
Empates - 2 (25%)
Derrotas - 6 (75%)

Jogos em casa:
Vitórias - 0 (0%)
Empates - 2 (29%)
Derrotas - 5 (71%)

Jogos fora:
Vitórias - 0 (0%)
Empates - 0 (0%)
Derrotas - 1 (100%)

Isto significa: JOGOS À SEXTA-FEIRA E AO SÁBADO NUNCA MAIS !!!!

Análise dos 10 jogos disputados ao Domingo:
01ª Jornada - 07-09-2003 - Belenenses - E. da Amadora - 4 - 0
04ª Jornada - 14-09-2003 - Benfica - Belenenses - 3 - 3
06ª Jornada - 28-09-2003 - Académica - Belenenses - 0 - 1
09ª Jornada - 26-10-2003 - Nacional - Belenenses - 4 - 0
10ª Jornada - 02-11-2003 - Belenenses - Moreirense - 0 - 0
14ª Jornada - 14-12-2003 - Belenenses - Alverca - 2 - 0
15ª Jornada - 21-12-2003 - Rio Ave - Belenenses - 4 - 1
17ª Jornada - 11-01-2004 - Braga - Belenenses - 2 - 1
20ª Jornada - 01-02-2004 - União de Leiria - Belenenses - 1 - 1
21ª Jornada - 08-02-2004 - Belenenses - Benfica - 0 - 2

Em resumo:
Vitórias - 3 (30%)
Empates - 3 (30%)
Derrotas - 4 (40%)

Jogos em casa:
Vitórias - 2 (50%)
Empates - 1 (25%)
Derrotas - 1 (25%)

Jogos fora:
Vitórias - 1 (17%)
Empates - 2 (33%)
Derrotas - 3 (50%)

E finalmente foram disputados 9!! jogos à segunda-feira:
03ª Jornada - 01-09-2003 - Belenenses - União de Leiria - 1 - 1
05ª Jornada - 22-09-2003 - Belenenses - V. Guimarães - 2 - 0
13ª Jornada - 08-12-2003 - Beira-Mar - Belenenses - 2 - 0
18ª Jornada - 19-01-2004 - E. da Amadora - Belenenses - 2 - 2
22ª Jornada - 16-02-2004 - Guimarães - Belenenses - 0 - 1
27ª Jornada - 22-03-2004 - Moreirense - Belenenses - 0 - 0
28ª Jornada - 29-03-2004 - Belenenses - Gil Vicente - 2 - 0
29ª Jornada - 05-04-2004 - Marítimo - Belenenses - 2 - 0
30ª Jornada - 12-04-2004 - Belenenses - Beira-Mar - 1 - 0

Ou seja:
Em resumo:
Vitórias - 4 (44%)
Empates - 3 (33%)
Derrotas - 2 (22%)

Jogos em casa:
Vitórias - 2 (67%)
Empates - 1 (33%)
Derrotas - 0 (0%)

Jogos fora:
Vitórias - 1 (20%)
Empates - 2 (40%)
Derrotas - 2 (40%)

Tendo estas estatisticas em atenção podemos ver que afinal é à segunda-feira que ganhamos mais jogos, isto é, de todos os jogos disputados à segunda, ganhámos 44% das vezes contra os 30% dos encontros realizados ao domingo e nunca ganhámos à sexta e ao sábado. Esta conclusão repete-se tanto nos jogos em casa (2ª-feira: 67% vitórias, domingo: 50% e sexta e sábado: 0%) e nos jogos fora (segunda:20%, domingo: 17% e sexta e sábado: 0%).

Dado curioso é que este foi o quarto jogo seguido à segunda-feira. (mas também fizemos 7 pontos)

Até ver estes dados, até não gostava de jogar à segunda-feira, mas afinal...