sexta-feira, setembro 29, 2006

Nunca esquecerei...

L.Rodrigues

Camisola


... obrigado por, com esse crime, me fazerem amar ainda mais o meu clube!

Assembleia Gera 28/09/2006l: Resumo final

L.Rodrigues

O presente artigo tem por base a "transmissão live" da AGE de ontem, feita em contacto por sms entre mim e o Luís Vieira, que ia colocando os tópicos on-line. Como é óbvio, acabaram por se registar algumas imprecisões, que agora foram corrigidas, tanto quanto me foi possível recordar. Queiram fazer o favor de clicar em "abrir artigo":

21:18
- A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) começou.
- Estão presentes cerca de 150 pessoas
- Machado Rodrigues pede desculpa por ter convocado Assembleia Geral Ordinária.
- Votação para corrigir o erro, passando de AG Ordinária a AG Extraordinária, com aprovação por unanimidade.
- Cabral Ferreira elogia a presença da Fúria Azul (FA) e dá os parabéns à claque pelo seu 22º aniversário.

21:24
- Cabral Ferreira (CF) apresenta o Plano de Acção Imediata (PAI)

21:31
- As modalidades estão classificadas em 3 niveis. As de nível 1, são aquelas às quais o clube cede instalações, verba para atletas e treiandores. As de nível 2 aquelas às quais o clube cede instalações e verba para treinadores. E as de nível 3, aquelas às quais o clube cede apenas instalações.
- Os terrenos do Projecto Imobiliário não passam de promessas, que por isto ou por aquilo acabam por não se concretizar.

- Ricardo Schedel (vice-presidente para a área financeira) apresenta o PAI em numeros:
-- Orçamento Rectificativo (OR) apresenta o 1º semestre real e o 2º contém o orçamento de contenção. O 1º semestre está influenciado pelo acerto de 2005 relativamente à compra de bilhetes pelo clube à SAD (150 mil euros mês).
-- O Bingo teve uma quebra de 200 mil euros no primeiro semestre.
-- O primeiro semestre teve um resultado negativo de 1.230 mil euros.

21:37
- Os sócios vão começar a falar.

21:55
- Abel Vieira começa a sua intervenção: fala do pedido da AG em Maio e da recolha de assinaturas. Fala da lotaria do caso Mateus. Diz que tem vergonha da época anterior e que falta apurar os responsáveis. Fala ainda das amadoras e de perdermos 2 mil sócios por ano. Diz ainda que somos filiais dos da 2ª circular. Fala do Zé Pastel - o que se senta nas bancadas do Restelo sem convite.

21:58
Abel continua a falar e contesta as condecorações e o jantar do casino. Diz que nem ele nem o Zé Pastel serão convidados, nem terão vontade de lá ir.

Resposta do Presidente da AG relativamente às assinaturas: 45 assinaturas correspondiam a sócios sem as quotas em dia, 1 atleta, 1 menor e 4 sócios com menos de 1 ano de associado.

22:06
- Um sócio começa a falar: diz que avisou Cabral Ferreira que José Couceiro iria levar o clube para a 2ª Divisão. Diz que Pedro Alves foi colocado a jogar por José Couceiro para descermos. Diz ainda que é o Conselho Geral e não Cabral Ferreira que gere o clube. Finalmente diz que se deve dinheiro no andebol e que o Vice-Presidente Miguel Barreiros lhe "ofereceu porrada" no ano passado.

- Fala Fernando Trindade: votou Cabral Ferreira e está desiludido. Diz que CF quer protagonismo em vez de o dar ao clube.

22:09
- Fernando Trindade continua e diz que CF atingiu o principio de Peter. Diz ainda que os mandatos devem ter 3 anos. Faz uma referência ao homem dos emblemas e quer saber por que não ficamos com os emblemas como o homem quer. [está referir-se a uma reportagem publicada pelo jornal "A Bola"]

22:22
- O sócio continua: diz que temos a cruz de Cristo e portanto podemos nos tornar no clube dos cristãos de todo o mundo! Diz ainda que esteve envolvido no projecto imobiliário antigo e diz que está dentro do PDM. O sócio continua e diz que a equipa da SAD não sabe de futebol e não percebe porque Barros Rodrigues saiu. Cabral Ferreira é um escravo do clube mas isso não chega.

- É a vez de Pedro Patrão falar. Fala da quotização e diz que em Abril avisou que era surreal perdermos 2 mil sócios por ano. Faz diversas perguntas: quantos sócios temos e qual a duração dos contratos da Sport TV e da Loja Azul. Por fim, diz ainda que o Orçamento Rectificativo viola os estatutos.

22:30
- Paulo Moura inicia a sua intervenção. Começa por dizer que toda a gente na SAD devia ser profissional à excepção do presidente. Diz ainda que não deviamos ter prosseguido com o Caso Mateus por uma questão moral!!! É vaiado pela assistência.

22:47
- Paulo Moura continua e diz que "A Bola" favorece Cabral Ferreira, há muitos anos que não aparecíamos tanto nos jornais, mas é sempre por causa do presidente! Outra vaia!!!

- Aparece outro sócio a falar e diz que o anterior fala como se fosse do Gil. Diz ainda que com 1,5 milhões de contos não podemos fazer uma época miserável como a anterior.

- Fala agora Rui Almeida que pertencia à comissão que reuniu as assinaturas. Diz que nessa altura o clube precisava de vida e que o clube não ia parar porque estava pronta a entrar uma comissão administrativa. Se tivesse havido Assembleia Geral na altura, Cabral Ferreira já não era presidente agora. Diz ainda que só existe Orçamento Rectificativo por exigência do Conselho Geral e é este orgão que manda! Continua a dizer que Cabral Ferreira faltou ao respeito ao falar com os sócios com as mãos nos bolsos! Temos que acabar com o amadorismo e profissionalizar o clube. Pede a Cabral Ferreira que peça uma moção de confiança.

22:52
- Fala agora Luis Cruz, membro do Conselho Geral. Diz que se sente ofendido com as declarações anteriores. Diz que o CG não pode impor nada a ninguem!! Se fossemos para a Liga de Honra era irreversivel e podia ser o fim do clube a médio prazo. A direcção não podia cair! Diz que não está satisfeito mas há que ter bom senso. Pede que se convoque agora nova AGE para a direcção se demitir.

23:02
- Fala Paulo Conceição. Quer saber porque sairam Barros Rodrigues e Luis Baptista.

- Intervenção de Luis Pires, ex-presidente do clube. Diz que ele e Matias foram afastados do CG por serem muito incómodos. Diz que há gente de outros clubes no Belenenses. Pede ainda 1 voto para cada sócio, senão há sempre continuidade.

- É a vez de Antonio P.. Enaltece Anaiz Moniz.

23:13

- Barros Rodrigues vai iniciar a sua intervenção. Faz-se silêncio no pavilhão. BR tem estado em período de nojo e regressou hoje. Diz que a SAD que presidia falhou mas não ainda sabe porquê. Teve José António com contrato com clausula para ir para o estrangeiro. Tambem Manuel José tinha contrato mas a mulher não o deixou vir! Pré-época correu bem e começámos o campeonato bem. Diz ainda que votou contra o Couceiro e diz que este o desiludiu como homem. Diz que sem a entrada de Couceiro e as compras de Janeiro o desvio tinha sido inferior a 5%. Diz que as contas da SAD são uma farsa porque dependem das transferências do que o clube faz para a sociedade desportiva. Diz que se este ano a transferência fosse igual à do outro ano a SAD teria um lucro fabuloso. O Belenenses precisa de um downsizing. As crianças não querem o Belem. Temos de ser um clube de futebol! Doa a quem doer!

23:21
- Barros Rodrigues continua... Foi por isso que apostou na Europa. Diz também que lhe doi quando lhe chamam "maluco". Acha que tinhamos condições para lutar pela Europa. Infelizmente não foi cumprido. Teve problemas de tesouraria desde o inicio e não sentiu o apoio do clube, sendo que logo no início dos problemas o clube recebeu um reembolso de IVA de 800.000 euros, e o futebol não recebeu nada desse dinheiro. Diz que o contrato com a Sport TV não foi antecipado e diz ainda que é impossivel qualquer equipa ter menos de 4 milhões de euros na primeira liga.

23:29
- e continua... Diz que não tem ambições politicas. Deviamos só ter um estádio de futebol todo remodelado. Diz que o Belém é o unico clube com mais sócios do que adeptos. Temos de ir à Europa. Não temos condições para ter todas as modalidades. Quando as coisas tão más temos de nos focar. Quer um Belém forte e na Europa. Penitenciasse pelo que aconteceu mas não consegue perceber o que aconteceu. Não sendo uma ciência oculta, o futebol não é uma ciência exacta.

23:36
- Intervenção de João Almeida. Quem tem responsabilidades tem pouca convicção e as criticas são sempre as mesmas. Quem manda tem que mandar mais e quem critica tem que criticar melhor. Não podemos viver do passado. Temos orgulho, mas muitos nunca viram essas glórias. O futebol é a razão de ser do clube. E é aí que podemos ser maior

23:40
- E continua... Os clubes têm de ser geridos de forma profissional. Não se revê na direcção nem na oposição. O clube não tem imagem nem dinâmica!

23:55
- Elisio Gouveia diz que com 300 mil contos por ano investido em formação somos um clube de topo. Diz que temos que comprar treinadores de equipas de divisões inferiores para ter o plantel deles na mão no final da temporada. Diz que se lhe derem 300 mil contos ele trata disso, monta a escola de formação com base no modelo espanhol, que tão bem conhece.
Palavra à direcção.

- Ricardo Schedel diz que houve poucas perguntas sobre o Orçamento e basicamente não falou nada especial em relação ao orçamento.

- Cabral Ferreira pede desculpa por falar sem casaco mas não permite que critiquem a forma como se veste ou age. Diz que não tem problemas com Assembleias Gerais e que esteve no meio dos sócios quando chegou de Barcelos e não foge de ninguém. Diz que "temos 8 a 9 mil sócios contribuintes. Nos ultimos 2 meses temos tido muitos sócios antigos a regressar". Pergunta o que a história diria desta direcção se não avançasse com o caso Mateus. Hoje o caso Mateus morreu com a decisão do TAFL. Saúda o regresso de Barros Rodrigues e não sabia que este tinha votado contra Couceiro. "Foi um nome que foi acordado num almoço. Nascemos como um clube eclético basta ler os estatutos! Temos de discutir como ser ecléticos e não o facto de o ser". Entretanto, um sócio começa a discutir com Cabral Ferreira e cai pela bancada!

- Machado Rodrigues diz que tem de se discutir o clube.

0:22
Votação do OR:
- votos a favor: 34
- votos contra: 22
- abstenções: 32

Inicialmente foi dito pelo Eng. Machado Rodrigues que o Orçamento Rectificativo havia sido aprovado, mas após contestação do sócio Pedro Patrão, a decisão foi alterada. Isto porque os estatutos, no seu Artigo 74º, exigem maioria absoluta, logo o OR não foi aprovado. Note-se que gerou mal estar porque a grande maioria dos presentes na votação já tinha saído e muitos dos abstencionistas queixavam-se que se soubessem que a abstenção contava, teriam votado favoravelmente.

O Orçamento Rectificativo será discutido novamente na Assembleia Geral de Novembro.

Direito de Resposta: Abel Vieira

Blog

Na sequência de um comentário publicado durante esta noite no rescaldo da Assembleia Geral Ordinária do nosso clube, em que o sócio Abel Vieira se sentiu visado por uma crítica sem fundamento, vem o sócio restabelecer a verdade por este meio.

O comentário em causa foi o seguinte:

"será que o ABEL VIEIRA vai mencionar que DOMINGO no jogo CFB-NAVAL esteve a discutir com o porteiro do parque de estacionamento porque não queria pagar os 3 eurecos????... e não é que o homem conseguiu mesmo pôr lá o carro sem pagar!!! ... este sim... um verdadeiro ZÉ PASTEL...
Anonymous | 09.28.06 - 11:05 pm | #"

Abel Vieira esclarece que é detentor de Quota Azul, paga até 31 de Dezembro de 2006, quota essa que engloba o estacionamento, pelo que o comentário não tem qualquer fundamento.

quinta-feira, setembro 28, 2006

AGE em directo (2)

Blog

O Blog do Belenenses está a acompanhar a Assembleia Geral Extraordinária em directo.


23:36
- Intervenção de João Almeida. Quem tem responsabilidades tem pouca convicção e as criticas são sempre as mesmas. Quem manda tem que mandar mais e quem critica tem que criticar melhor. Não podemos viver do passado. Temos orgulho, mas muitos nunca viram essas glórias. O futebol é a razão de ser do clube. E é aí que podemos ser maior

23:40
- E continua... Os clubes têm de ser geridos de forma profissional. Não se revê na direcção nem na oposição. O clube não tem imagem nem dinâmica!

23:55
- Elisio Gouveia diz que com 300 mil contos por ano investido em formação somos um clube de topo. Diz que temos que comprar treinadores de equipas de divisões inferiores para ter o plantel dele na mão. Diz que se lhe derem 300 mil contos ele trata disso!


Passa a palavra à direcção.

- Ricardo Schedel diz que houve poucas perguntas sobre o Orçamento.

- Cabral Ferreira pede desculpa por falar sem casaco mas não permite que critiquem a forma como se veste ou agel. Diz que não tem problemas com Assembleias Gerais. Esteve no meio dos sócios quando chegou de Barcelos e não foge de ninguém. Diz que "temos 8 a 9 mil sócios contribuintes. Nos ultimos 2 meses temos recebido muitos sócios antigos a regressar". Pergunta o que a história diria desta direcção se não avançasse com o caso Mateus. Hoje o caso Mateus morreu com a decisão do TAFL. Saúda o regresso de BR e não sabia que tinha votado contra Couceiro. "Foi um nome que acordado num almoço. Nascemos como um clube eclético basta ler os estatutos! Temos de discutir como ser ecléticos e não o facto de o ser". Entretanto, um sócio começa a discutir com CF e cai pela bancada!

- Machado Rodrigues diz que tem de se discutir o clube.

0:22
Votação do OR:
- votos a favor: 34
- votos contra: 22
- abstenções: 32

Os estatutos, no seu Artigo 74º, exigem maioria absoluta, logo o OR não foi aprovado. Nova AG em Novembro.

AGE em directo

Blog

O Blog do Belenenses está a acompanhar a Assembleia Geral Extraordinária em directo.

21:18
- A Assembleia Geral Extraordinária (AGE) começou.
- Estão presentes cerca de 150 pessoas
- Machado Rodrigues pede desculpa por ter convocado Assembleia Geral Ordinária.
- Votação para emendar.
- Cabral Ferreira elogia a presença da Fúria Azul (FA) e dá os parabéns à claque pelo seu 22º aniversário.

21:24
- Cabral Ferreira (CF) apresenta o Plano de Acção Imediata (PAI)

21:31
- As modalidades estão classificadas em 3 niveis.
- Os terrenos do Projecto Imobiliário não passam de promessas.

- Ricardo Schedel (vice-presidente para a área financeira) apresenta o PAI em numeros:
-- Orçamento Rectificativo (OR) apresenta o 1º semestre real e o 2º contém o orçamento de contenção. O 1º semestre está influenciado pelo acerto de 2005 relativamente à compra de bilhetes pelo clube à SAD (150 mil euros mês).
-- O Bingo teve uma quebra de 200 mil no primeiro semestre.
-- O primeiro semestre teve um resultado negativo de 1.230 mil euros.

21:37
- Os sócios vão começar a falar.

Os nossos conhecidos Pedro Patrão, Abel Vieira e Xandala estão inscritos para falar.

21:55
- Abel Vieira começa a sua intervenção: fala do pedido da AG em Maio e das assinaturas. Fala da lotaria do caso Mateus. Diz que tem vergonha e que falta apurar os responsáveis. Fala ainda das amadoras e de perdermos 2 mil sócios por ano. Diz ainda que somos filiais dos da 2ª circular. Fala do Zé Pastel - o que se senta nas bancadas do Restelo sem convite.

21:58
Abel continua a falar e contesta as condecorações e o jantar do casino. Diz que nem ele nem o Zé Pastel...

Resposta do Presidente da AG relativamente às assinaturas: 45 assinaturas correspondiam a sócios sem as quotas em dia, 1 atleta, 1 menor e 4 sócios com menos de 1 ano de associado.

22:06
- Um sócio começa a falar: diz que avisou que Cabral Ferreira iria levar o clube para a 2ª Divisão. Diz que Pedro Alves jogou para descermos. Diz ainda que é o Conselho Geral e não Cabral Ferreira que gere o clube. Finalmente diz que se deve dinheiro no andebol e que MB lhe "ofereceu porrada" no ano passado.

- Fala Fernando Trindade: votou Cabral Ferreira e está desiludido. Diz que CF quer protagonismo em vez de o dar ao clube.

22:09
- o sócio continua e diz que CF atingiu o principio de Peter. Diz ainda que os mandatos devem ter 3 anos. Faz uma referência ao homem dos emblemas e quer saber por que não ficamos com os emblemas como o homem quer. [está referir-se a uma reportagem publicada pelo jornal "A Bola"]

22:22
- O sócio continua: diz que temos a cruz de Cristo e portanto podemos nos tornar no clube dos cristãos de todo o mundo! Diz ainda que esteve envolvido no projecto imobiliário antigo e diz que está dentro do PDM. O sócio continua e diz que a equipa da SAD não sabe de futebol e não percebe porque Barros Rodrigues saiu. CF é um escravo do clube mas isso não chega.

- É a vez de Pedro Patrão falar. Fala da quotização e diz que em Abril era irrealista perdermos 2 mil sócios por ano. Faz diversas perguntas: quantos sócios temos e qual a duração dos contratos da Sport TV e da Loja Azul. Por fim, diz ainda que o Orçamento Rectificativo viola os estatutos.

22:30
- Paulo Moura inicia a sua intervenção. Começa por dizer que toda a gente na SAD devia ser profissional à excepção do presidente. Diz ainda que não deviamos ter prosseguido com o Caso Mateus!!! É vaiado pela assistência. Está tudo aos gritos!

22:47
- O sócio continua e diz que "A Bola" CF favorece CF !!! Outra vaia!!

- Aparece outro sócio a falar e diz que o anterior fala como se fosse do Gil. Diz ainda que com 1,5 milhões de contos não podemos fazer aquilo. [será que fala da prestação da época passada?]

- Fala agora Rui Almeida que pertencia à comissão que reuniu as assinaturas. Diz que nessa altura o clube precisava de vida e que o clube não ia parar porque estava pronta a entrar uma comissão administrativa. Diz que a direcção tinha que esperar e que se tivesse havido Assembleia Geral na altura, CF já não era presidente agora. Diz ainda que só existe OR por exigência do Conselho Geral e é este orgão que manda! Continua a dizer que CF faltou ao respeito ao falar com os sócios com as mãos nos bolsos. Temos que acabar com o amadorismo e profissionalizar o clube. Pede a CF que peça uma moção de confiança.

22:52
- Fala agora Luis Cruz, membro do Conselho Geral. Diz que se sente ofendido com as declarações anteriores. Diz que o CG não pode impor nada a ninguem!! Se fossemos para a Liga de Honra era irreversivel e podia ser o fim do clube a médio prazo. A direcção não podia cair! Diz que não está satisfeito mas há que ter bom senso. Pede que se convoque agora nova AGE para a direcção se demitir.

23:02
- Fala Paulo Conceição. Quer saber porque sairam Barros Rodrigues e Luis Baptista.

- Intervenção de Luis Pires, ex-presidente do clube. Diz que ele e Matias foram afastados do CG por serem muito incómodos. Diz que há gente de outros clubes no Belenenses. Pede ainda 1 voto para cada sócio, senão há sempre continuidade.

- É a vez de Antonio P.. Enaltece Anaiz Moniz.

- Barros Rodrigues, antigo presidente da SAD inscreve-se para falar!

23:13

- Barros Rodrigues vai iniciar a sua intervenção. Faz-se silêncio no pavilhão. BR tem estado em período de nojo e regressou hoje. Diz que a SAD que presidia falhou mas não ainda sabe porquê. Teve José António com contrato com clausula para ir para o estrangeiro. Tambem Manuel José tinha contrato mas a mulher não o deixou vir! Pré-época correu bem e começámos o campeonato bem. Diz ainda que votou contra o Couceiro e diz que este o desiludiu como homem. Diz que sem entrade de Couceiro e as compras de Janeiro o desvio tinha sido inferior a 5%. Diz que as contas da SAD são uma farsa porque dependem das transferências do que o clube faz para a sociedade desportiva. Diz que se este ano a transferência fosse igual à do outro ano a SAD teria um lucro fabuloso. O Belenenses precisa de um downsizing. As crianças não querem o Belem. Temos de ser um clube de futebol! Doa a quem doer!

23:21
- BR continua... Foi por isso que apostou na Europa. Diz também que lhe doi quando lhe chamam "maluco". Acha que tinhamos condições para lutar pela Europa. Infelizmente não foi cumprido. Teve problemas de tesouraria desde o inicio e não sentiu o apoio do clube. Diz que o contrato com a Sport TV não foi antecipado e diz ainda que é impossivel qualquer equipa ter menos de 4 milhões de euros na primeira liga.

23:29
- e continua... Diz que não tem ambições politicas. Deviamos só ter um estádio de futebol todo remodelado. Diz que o Belém é o unico clube com mais sócios do que adeptos. Temos de ir à Europa. Não temos condições para ter todas as modalidades. Quando as coisas tão más temos de nos focar. Quer um Belém forte e na Europa. Penitenciasse pelo que aconteceu mas não consegue perceber o que aconteceu. Não sendo uma ciência oculta, o futebol não é uma ciência exacta.

Mais vale tarde que nunca!

T.Carvalho

Neste Belenenses de faz de conta, acredito plenamente que ainda exista a capacidade e discernidade de recuperar o tempo perdido pois, nunca é tarde para fazer bem ou, pelo menos para não fazer mal.

Esta Assembleia Geral Extraordinária que se vai realizar dentro de breves horas será, na minha opinião, a ultima oportunidade que esta Direcção e o seu Presidente têm para apresentar soluções aos seus associados, embora eu não acredite que isso vá acontecer.

O aparente estado de graça vivido com o resultado do caso Mateus, já não consegue fazer esquecer e disfarçar todos os problemas vividos pelo nosso Clube nos últimos anos e só uma solução radical, acompanhada por pessoas com coragem para mudar o rumo das coisas, poderá e deverá criar os alicerces para uma Direcção onde a gaveta não seja o local dos projectos para o clube.

Muito embora nos aproximemos de novas eleições, as intenções da Direcção devem passar disso mesmo, Esclarecendo desde logo a linha de actuação que se pretende aplicar no clube (doa a quem doer).

Para o caso de isso não ser feito, corre-se o risco de, uma vez mais perder-se a oportunidade de se proceder à total reestruturação do Clube e dos seus Serviços.

Belenenses no Mundo: Munique

Blog

Ricardo (Dormes) e Vitor Ennes
Allianz Arena
Mundial Alemanha 2006
Munique - Alemanha

O Belém, visto de fora

Blog

Artigo da autoria de Pedro Cruz, que nos últimos 2 anos tem vivido fora de Portugal, na Europa e América:

Pediram-me para escrever sobre o Belenenses, outra vez. Não é um tema fácil de se escrever. Porque há muito para escrever, e já muito foi escrito. Felizmente só gosto de relembrar o passado, está lá, com as suas coisas boas e más e preocupo-me mais com o presente e futuro.

Para quem espera apenas o habitual comentário ao último resultado contra a Naval. Cá vai: foi muito bom! Heresia!! Porquê? Porque qualquer coisa é melhor do que ir jogar ao Moscavide e perder contra o Olivais. Quem acredita que o CFB subia à Bwin.com nesta época ponha o dedo no ar…

Obrigado por ter continuado a ler… o pouco que escrevi há uns anos, ainda nos meus anos de faculdade, foi suficientemente incómodo e irreverente para que me desencorajasse a escrever novamente. A minha opinião sobre o Belenenses enquanto “organização” era bastante clara, e baseava-se única e somente em… factos, creio ter tocado em ao de leve em pontos como imagem, marketing, relações públicas, a estrutura do clube, algumas ideias básicas que achava importantes salientar na altura. A partir daí quem se atrevesse a fazer uma sugestão nos blogs ou forums era apelidado de “pseudo-gestor”. Estávamos no auge da discussão da remuneração dos órgãos sociais, com frases lapidares como “Enquanto eu for presidente ninguém recebe”, curiosamente do mesmo autor que “A fase da asneira”.

Todos os dias se discutem na Internet, no estádio, no Restelo, numa casa onde houver belenenses: os problemas do Belenenses. O jogo em que fomos “roubados”, as noitadas dos jogadores, a desorganização administrativa, a boa-vontade de muita gente que não chega… Eu sou belenenses há 26 anos, e só há 2 anos consegui perceber o real e verdadeiro problema do nosso clube. Essa percepção surgiu com o distanciamento físico do clube e de Portugal. O estar suficientemente longe para não ser “cego” pelo dia-a-dia e as emoções do normal adepto e suficientemente perto (do coração) para me preocupar com uma parte importante da minha vida. Estas forças contrárias deram origem a uma verdade que para mim é inabalável: O belenenses não se conhece a si próprio.

Confuso? Não
. Não se conhece a si próprio porque não se consegue colocar fora de si conscientemente para ver o que está bem e o que está mal. E é por isso que tem sempre uma atitude reactiva, em vez de proactiva.

Peguem numa caneta e escrevam isto: enquanto “vocês” não se conseguirem ver “de fora” nunca, nunca mas nunca vão acertar em nada. Porque visto de dentro o mundo exterior é uma ameaça, uma incerteza, é a crítica de adepto bêbado e que bate na mulher, é a claque, são os bloguistas, são os “ factores não controláveis do mundo do futebol”. E na realidade, para quem tem a clarividência de o ver, são o que faz um clube de futebol moderno de sucesso: o sucesso das relações desportivas, comerciais e sociais com terceiros, todas em conjunto.

Dirão os leitores mais crentes: “mas não podemos ser proactivos quando a bola bate no poste, o futebol é um jogo de sorte”. A minha resposta: Errado. O futebol são 11 contra 11 e a bola é redonda. É tudo uma questão de perspectiva, os vencedores preferem chamar-lhe motivação. Quem tenha lido “A Arte da Guerra”, poderá perceber o que quero dizer. Ler o livro e tentar aplicá-lo ao dia-a-dia do CFB é uma experiência de reflexão que convido todos a fazer.

Quero deixar claro que respeito toda e qualquer pessoa que dá o seu contributo ao Belenenses. Conheço muitas pessoas que o fazem ou o fizeram e todas me merecem o maior respeito e consideração.

Uma última lição “pseudo-gestora”: devemos propor-nos a fazer aquilo que sabemos fazer melhor, ora, eu não percebo NADA de futebol, vocês percebem? Eu sei a resposta, vamos nadar para não nos afogarmos. Já é um clássico belenense.

quarta-feira, setembro 27, 2006

Escrever Direito:

Diogo M.

No site oficial do nosso clube aparece a seguinte curiosidade: “Sabia que… o Estádio do Restelo é hoje o único espaço privado a possuir uma pista sintética para atletismo?

Bom...ao deparar-me com tal circunstância, levantou-se em mim mesmo uma dúvida: será isso bom? Será mau? Indiferente? Será que existem outras coisas - mais importantes – que devíamos mas não temos?

Senti-me inevitavelmente inclinado para esta última hipótese. Quando me dizem “ah…nós temos uma pista de atletismo sintética”, logo penso que sim e que vou dormir com um pouco mais de orgulho do meu clube esta noite, mas não vou dormir descansado. Não vou porque há, efectivamente, outras circunstâncias que me impedem de pensar que está tudo bem. É que – e perdoem-me os adeptos do atletismo, modalidade que muito admiro e que tanto nos tem alimentado de orgulho – uma pista de atletismo sintética é, para mim que sou um adepto incondicional do futebol e de tudo o que se jogue com uma bola, manifestamente inútil. Quer isto dizer que não devíamos ter uma pista em 2 tons de azul, bonitinha, para que os nossos atletas (verdadeiros profissionais da coisa) possam treinar em condições? Claro que não!

A minha conclusão é outra. É que eu, tal como, por certo, a maioria dos adeptos deste GRANDE clube, preferiria ver umas cadeiras limpas de cada vez que entra no estádio. Ou poder pagar as quotas de uma forma menos arcaica do que ter que estar 45 minutos numa fila de um guichet que, muitas vezes, nem é o nosso. Ou de os cartões de sócio serem inteiramente informatizados e não termos de colar aqueles papelinhos ridículos que, mais tarde ou mais cedo, acabam, eles próprios, por danificar o cartão. Ou de torniquetes à entrada do estádio para controlar o número de espectadores. Ou que a Loja Azul fosse mais dinâmica e eficiente. Ou que os funcionários do clube que lidam com o público, seja ele belenense ou de outro clube, sejam mais profissionais e não tenham ar de quem “toda a gente lhes deve e ninguém lhes paga”. Ou que os bares do estádio tivessem uma melhor apresentação. Ou que o placard que marca o resultado não pareça comprado numa loja de antiguidades… há muitos anos atrás… E a cobertura das piscinas, já está resolvido esse problema? Acredito que seja necessário mais orçamento mas não é mais importante revitalizar as piscinas e recuperar os sócios da natação, antes de nos regojizarmos com a pista de atletismo? Parece-me que sim… e, de certo, que todos nós já falámos ou pensámos nisto.

Não quero com isto dizer mal da Direcção. Abstive-me deliberadamente nas últimas eleições mas penso que são credores de todo o nosso apoio. Esta Direcção tem que ter o nosso apoio, até porque alternativas… nem vê-las! Tal como este artigo não é contra o atletismo, insisto.

Só que, na verdade, de nada vale “parecermos” modernos, quando o maior síntoma de modernidade é quando os próprios sócios não são tratados como meros… contribuintes.

Estádio do Restelo - Projecto de 1952

Blog

Há alguns meses atrás, fomos contactados pelo Arq. João Bento, que numa pesquisa para um trabalho por si executado tinha encontrado registos do projecto inicial do Estádio do Restelo. Assim, com base no trabalho de pesquisa do Arq. João Bento, resulta hoje a publicação de um artigo da revista Arquitectura nº43, de Agosto de 1952, que consiste na apresentação do projecto para o Estádio do Restelo, da autoria dos Arquitectos Carlos Manuel Ramos e Jorge Viana.

Agradecendo desde já a gentileza do Arq. João Bento em colaborar connosco, convidamos todos os Belenenses a conhecerem melhor a génese da nossa Casa.


Projectou-se este Estádio dividido em dois níveis de espectadores. Um mais baixo e com menor largura que envolve completamente as pistas de atletismo e outro superior e mais desenvolvido só a Nascente e Poente e que aproxima a forma do estádio da “forma ideal” do agrupamento do público em torno do rectângulo de jogo.

O Estádio ficará com a lotação aproximada de 33.000 espectadores, assim distribuídos: camarotes 320 ; bancada central-superior 1.600 ; bancada central-inferior 1.100 ; bancada lateral-superior 1.350 ; bancada lateral-inferior 800 ; bancadas cabeceira 8.400 ; peão 18.000, podendo ainda quando as necessidades do clube o exigirem, construir-se no Topo Norte mais uma bancada cabeceira-superior, para aproximadamente 7.000 espectadores.

Esta distribuição foi objecto de um estudo cuidado, e feita de acordo com os representantes do clube, que nos forneceram todos os dados relativos à exploração de um recinto desta natureza.

Houve também a preocupação de dotar os diferentes sectores do estádio com instalações sanitárias de ambos os sexos e bares privativos em número suficiente relativamente ao número de espectadores. Estes vários sectores possuem todos amplas saídas, e algumas das quais em vomitório e aproveitando os desníveis existentes, e orientando sempre o movimento do público para o Sul, onde se encontram os acessos principais do campo.

Blog


A evacuação total do estádio deve fazer-se em poucos minutos. Junto aos acessos principais estão localizadas as bilheteiras que ficam ao lado dos portões de entrada, não dificultando deste modo o movimento junto destes.

De acordo com as indicações fornecidas pelos serviços técnicos da Câmara Municipal de Lisboa, consideram-se 2 parques de automóveis de um e de outro lado das entradas principais e junta da principal via de acesso – Avenida do Restelo. Considerou-se também a hipótese de acesso de carros oficiais, às tribunas que estão na zona da bancada central superior.

Devido à forte pendente do terreno foi necessário estudar o percurso mais favorável indicado em planta geral, e cuja máxima inclinação é da ordem de 12%. Criaram-se também desvios para o acesso de automóveis às entradas, libertando deste modo a via de grande circulação e o perfil transversal da Avenida do Restelo permite de futuro a circulação de eléctricos por esta artéria o que facilitará ainda mais o problema dos transportes.

O acesso dos jogadores e do árbitro ao campo é feito através de um túnel que une directamente os vestiários a uma saída junto da baliza do lado Sul. Os vestiários dividem-se em dois grupos de um e de outro lado da zona central ocupada pelo hall e pelas instalações destinadas aos árbitros e juízes de linha. Cada vestiário colectivo (para uma equipa) possui 8 duches e 3 W.C. privativos além de 2 mesas de massagens. Existem 8 vestiários de futebol, 5 de atletismo (com 5 duches e 2 W.C.) e 3 de basket (com 3 duches e 2 W.C.). Além destas instalações existem ainda, no conjunto dos 2 pavimentos, a casa das equipas, arrecadações de material desportivo, aula de teoria de futebol, basket, etc., um hall de entrada e ainda um espaço de reserva.

Blog


Construtivamente procurou-se sempre que possível reduzir o volume de construção e assim grande parte das bancadas (e algum peão) que constituem um 1º nível são assentes directamente sobre o terreno, excepto na zona Sul, onde assenta sobre a construção dos vestiários, etc. As zonas superiores destinadas ao público, uma a bancada coberta e a outra constituída pelo peão, são também em grande parte construídas sobre o terreno com excepção das zonas destinadas às instalações do público, e algumas passagens em vomitório. O programa estabelecido fica assim distribuído por uma faixa de 7m de largura sob a bancada coberta de Poente e sob o peão a Nascente, além de todo o Topo Sul.

Blog


A construção será possivelmente de um sistema misto de alvenaria e betão armado visto que se por um lado toda a estrutura é em betão armado, os movimentos de terras necessários provocam vários muros de suporte que serão de alvenaria aproveitando na medida do possível a pedra arrancada do local. A cobertura da bancada será também em betão, convenientemente impermeabilizada.

Blog

Projecto do Complexo Desportivo na globalidade

terça-feira, setembro 26, 2006

Olhos bem abertos

T.Carvalho

É nesta altura que convém encontrarmo-nos de olhos bem abertos.

A AGE do próximo dia 28 deverá ser concorrida, assim o desejo.

Não só para que se possa ter uma ideia das contas do clube como essencialmente, do futuro que nos espera. Mas que futuro?

A continuidade da actual direcção e os disparates sucessivos de gestão parecem não ter fim, mas a responsabilidade dos sócios na pasmaceira e na estagnação do clube também.

Aqueles que me conhecem, sabem perfeitamente que sou adepto do cumprimento dos mandatos até ao seu final pois, as contas ajustam-se no fim e não a meio, e não será agora que vou mudar de opinião ainda que de facto, este mandato esteja a ser mau demais!

Belenenses, há que repensar urgentemente o que queremos para o nosso clube, e começar a agir antes que seja tarde. Esta oportunidade não pode voltar a ser desperdiçada, como tem vindo a acontecer ano após ano, direcção após direcção. Nesse sentido, gostava de ver por exemplo:
- Uma iniciativa proveniente da actual Direcção, do tipo “Referendo/Inquérito aos sócios” que visasse descobrir a efectiva vontade dos sócios do clube e os caminhos a seguir no futuro;
- Outra iniciativa (o tal PAI que desapareceu) que demonstrasse claramente as medidas já tomadas e a tomar no futuro imediato, com vista a ultrapassar o passivo existente e a gerar novas receitas;
- Apresentação de estudo contratado que tenha em atenção a modernização do clube e sua profissionalização;
- O ajuste das estruturas do clube ás suas efectivas necessidades;
- Um projecto Imobiliário que gerasse receitas mensais para o clube (Centro de escritórios, e centro comercial para alugar, por exemplo);
etc, etc, etc…

É mais do que evidente que o Eng. Cabral Ferreira se irá recandidatar. Alguém duvida? Eu não, e por isso mesmo torna-se extremamente importante perceber quais as suas verdadeiras intenções a cerca de seis meses da sua mais que provável recandidatura.

BELENENSES XV (2) – Actualidade do Rugby Azul

R.Vasco

Numa parceria com o Blog do Belenenses, o Blog BELENENSES XV elaborará semanalmente um resumo das notícias por si publicadas, directamente relacionadas com a realidade do Rugby Azul. Desta forma, pretende-se divulgar a modalidade e motivar mais sócios do clube a acompanhar a intensa e bem sucedida actividade das várias equipas de formação e competição do clube.

Seis iniciados azuis em Paris

A ARS (Associação de Rugby do Sul) convocou seis jogadores do Belenenses para o Torneio das Capitais, que se realizará em Paris, no início de Outubro. A prova, que será disputada na variante de Rugby de Sete, permitirá aos jogadores lusos – incluindo os do Belenenses, naturalmente – tomar contacto com o Rugby profissional gaulês, já que está prevista a deslocação da equipa a Saint Denis (para assistir ao jogo do Top14 entre as equipas do Stade Français e do Olympique Biarritz) e posterior encontro com os jogadores da equipa parisiense.

Os jogadores azuis convocados foram: Vasco Poppe, Francisco Vieira de Almeida, Bartolomeu Cassiano, Francisco Batalha, José Branco e João Barreto.

A comandar a equipa lisboeta encontra-se o técnico azul Pedro Gonçalves, responsável pelos juvenis belenenses.

Recorde-se que o Belenenses é o actual Campeão Regional de Iniciados no circuito de Sevens, para além de ser o detentor do título nacional, após conquista do Torneio Inter-Regional.

Confusão na Taça de Portugal

A primeira fase da Taça de Portugal Senior – que seria, idealmente, disputada em quatro grupos constituídos pelas equipas do Top14 nacional (Divisão de Honra e 1ª divisão) – encontra-se desde já marcada pela desistência de cinco formações (todas da 1ª divisão, que é a 2ª em ordem de importância). Das cinco equipas desistentes, duas encontravam-se no grupo do Belenenses, que assim fica reduzido aos azuis e ao CDUL.

Ora, sendo o objectivo desa fase de grupos apurar duas equipas por «poll», a desistências das formações do Évora e da UTAD vem tornar desnecessária a realização dos jogos do Grupo B (uma vez que Belém e CDUL se encontram apurados automaticamente e sem disputar qualquer partida).

O jogo entre Belenenses e CDUL, marcado para sábado, acabou por ser adiado, por comum acordo entre os clubes, já que grande parte dos plantéis se encontram ai serviço das selecções nacionais senior e sub-20.

XV do Presidente ganha a Oxford

O chamado XV do Presidente (uma equipa seleccionada pela FPR para jogos particulares de preparação) recebeu e venceu em Massamá a formação inglesa de Oxford, por 19-17. O encontro, que valeu pela luta e sobretudo pelo resultado, foi disputado sob más condições atmosféricas, o que não permitiu à equipa lusa atacar com a qualidade que lhe é característica.


Representaram esta equipa nacional os seguintes jogadores do Belenenses: João Uva (capitão azul), Diogo Mateus, Manuel Mata Pereira, David Mateus, Cristian Spachuk e Sebastião Cunha.


Cinco juniores no Europeu de Sub-20

Serão cinco os jogadores da equipa junior do Belenenses que integrarão a equipa nacional de sub-20, a qual participará no Campeonato Europeu da categoria, a disputar na Polónia no final deste mês de Setembro.

Os jogadores azuis convocados foram: Salvador Cunha (2ªlinha/3ª linha), Duarte Bravo (3/4 centro), João Fezas Vital (2ª linha), Tiago Cabral (defesa) e Diogo Jorge (n.º8/flanqueador).

A equipa nacional será dirigida pelo ex «médio-formação» internacional azul, Pedro Netto, o qual se sagrou na época passada campeão europeu de Sevens, na qualidade de treinador.

Netto será igualmente treinador adjunto da equipa senior do Belenenses em 2006/2007, colaborando com o novo treinador principal, Francisco Borges. A dupla encontra-se ligada ao Rugby azul há mais de duas e três décadas, respectivamente.

Azuis na vanguarda do Rugby nacional

De acordo com o Relatório relativo ao Biénio 2004/2006 da ARS, o Belenenses foi o clube que mais contribuiu para o crescimento do Rugby nacional, tendo apresentado (de longe) o maior aumento em percentagem e número absoluto de atletas nas categorias inferiores a iniciados (inclusivé).

Mais sobre esta realidade nos seguintes artigos do Blog Belenenses XV:
- ARS - Análise do biénio 2004-2006
- ARS: notas e questões sobre o Relatório
- Dados Azuis

Iniciados, Juniores e Internacionais homenageados

Iniciados, Juniores e atletas internacionais foram distinguidos pela direcção do Belenenses no passado sábado, durante o intervalo do jogo de futebol entre a equipa do Restelo e a Naval 1º de Maio. A lista de atletas «galardoados» é extensa, pelo que se registam aqui apenas as categorias (Iniciados e Juvenis, campeões nacionais) e os nomes dos seniores internacionais:


- David Mateus (igualmente campeão europeu de Sevens)
- Diogo Mateus (igualmente campeão europeu de Sevens)
- João Mirra (igualmente campeão europeu de Sevens)
- Cristian Spachuk
- Manuel Mata Pereira
- João Uva (capitão do Belenenses e da selecção nacional)
- Juan Murre
- David Penalva
- João David
- Francisco Moreira
- Duarte Bravo
- Valter Jorge
- Pedro Silva
- Sebastião Cunha

Belenenses no Mundo: A caminho de Coimbra

Blog

L.Rodrigues
António e Hugo Pereira e os primos Rita e Vasco
Na A1 a caminho de Coimbra

segunda-feira, setembro 25, 2006

Novos equipamentos

L.Vieira

Photobucket - Video and Image Hosting
Equipamento principal 2006/07
Futebol, Futsal e Andebol

Os equipamentos desta época já estão à venda na Loja Azul e só posso dizer uma coisa: são espectaculares!! Por 51 euros podemos adquirir a camisola + calções (com oferta de um cachecol) das três versões deste ano. Além dos tradicionais equipamentos (o azul e o branco) este ano a Patrick criou um equipamento... diferente. Esperamos ter fotos de todos os equipamentos em breve.

O facto de não terem ainda patrocinio só os torna melhores! Aproveitem agora.

A loja online do site oficial do clube vai ter estes e mais produtos disponiveis brevemente. Mas para quem não poder esperar mais, o contacto da loja azul é o seguinte: 21 301 16 68.

Recordamos ainda o site http://belenenses.ne1.net/equipamentos dedicado aos equipamentos do Belenenses e que vai ser actualizado em breve com os novos equipamentos desta época. Solicitamos de novo a ajuda dos nossos leitores para nos enviarem as fotos dos equipamentos que possuam para podermos completar o site.

Quem quiser mais merchandising azul pode ainda clicar aqui para adquirir t-shirts do andebol. Recordamos ainda a corrida "Das Salésias ao Restelo" no dia 1 de Outubro (que contribui para a secção de atletismo) e que mediante a inscrição oferece uma t-shirt - mais informações aqui.

Quem diria...

T.Carvalho

Depois de ouvir os vários comentários proferidos aqui e ali depois do empate de sábado, já estou como um tal Sr. que aparecia num qualquer programa televisivo e que dizia a determinado momento: "Só me apetece é ganir".

Neste belenenses, onde se passa de uma forma estonteante de bestial a besta, esquece-se quase sempre, que um jogo mau não reflecte a qualidade do trabalho desenvolvido ao longo da semana e quem acompanha sabe disso, sendo que determinados comentários são escusados, principalmente porque não ajudam em nada o futuro do nosso clube.

Com todas as condicionantes que tivemos e temos ao longo de todo este processo atribulado e não nos esquecendo que só por acaso, até estamos com um jogo a menos em relação à maioria dos nossos adversários, encontramo-nos na sexta posição da tabela, podendo, com um pouco de mestria passar automaticamente para o 3º lugar (lugar de acesso à pré-eliminatória para a Liga dos Campeões), Quem diria…

E esta situação só não é de todo absurda porque estamos a falar do nosso clube e isso teremos forçosamente de modificar no futuro se quisermos um dia estar no topo.

VIVA O BELENENSES.

Belenenses-0-0-Naval: Análise Individual

L.Rodrigues

Costinha - Muito seguro ao longo de toda a partida. 4

Sousa - Pareceu, de início, partir para exibição explosiva, mas acabou por ter um jogo bastante regular, quer a defender, quer a atacar. 3

Gaspar - De regresso ao onze, conquistando o lugar a Rolando, exibição muito personalizada, apenas penalizada por 2 ou 3 escorregadelas. 4

Nivaldo - Intratável. Encara todas as bolas como se a sua vida dependesse daquele corte. Quando não falha nenhuma, como neste jogo, é simplesmente perfeito. 5

Rodrigo Alvim - Excelente exibição do lateral brasileiro. Certinho a defender e com excelentes movimentações ofensivas. 4

Rúben Amorim - Foi perdendo fulgor ao longo da partida e por vezes parecia sozinho a segurar o meio-campo. 2

José Pedro - 1 remate muito perigoso, muitas perdas de bola, 2 ou 3 passes inteligentes e uma expulsão infantil que vai privar a equipa do seu contributo por 2 jogos. Esteve muito longe de Rúben Amorim, não lhe dando o apoio que vinha a dar noutras partidas. 2

Silas - Muito marcado, não conseguiu criar desequilíbrios. Bem tacticamente, a cobrir as subidas do lateral adversário. 2

Fernando - Longos períodos ausente do jogo, com momentos em que desequilibrou. Precisa de mais consistência. 2

Roma - Exibição muito fraca. Se durante a 1ª parte deu nas vistas por perder permanentemente a bola, sem timing para a soltar, na 2ª parte nem se viu. 1

Dady - Rápido e corpulento, é "chato" para os defesas. Mas tecnicamente muito limitado, não parece opção válida a Manoel. 2

Fábio Januário - Meia hora em campo absolutamente desinspirada. Preocupante. 1

Eliseu - De regresso à competição, notou-se claramente a sua vontade de fazer tudo e muito rápido. Infelizmente, nada lhe saíu bem. 1

Manoel - Entrou para o lugar de Dady já perto do final, e não fez nem mais nem menos que o companheiro. 1

domingo, setembro 24, 2006

Belenenses-0-0-Naval: Tiros na água

L.Rodrigues

O Belenenses empatou ontem sem golos num jogo onde nenhuma das equipas merecia vencer. A Naval até terá acabado por jogar melhor, mas pretendia apenas segurar o 0-0. Quanto ao Belenenses, não teve qualquer pingo de genialidade que pudesse fazer alterar o marcador, excepção feita a 2 ou 3 remates de longe.

Entrando mal na partida, o Belenenses começou a criar algum perigo apenas em 2 subidas de Sousa, na 2ª das quais o lateral azul fintou um defesa, entrou para a cabeça da área e rematou muito forte de pé direito, a rasar a barra. Poucos minutos volvidos, foi a vez de José Pedro, num pontapé fortíssimo de 1ª atirar mais uma bola a rasar o ferro. Por fim, Rodrigo Alvim tem uma subida a preceita que conclui com um cruzamento traiçoeiro que encontra o guardião adversário completamente batido. Caprichosamente, a bola cai por trás da barra e fica sobre a rede da baliza. A grande oportunidade da 1ª parte acaba por ser um mau atraso de cabeça de um defensor Figueirense que traíu o guarda-redes contrário, e que passou rente ao poste.

Com o 2º tempo, acreditava-se que a situação melhoraria. Ao invés, com as substituições operadas no 2º tempo, o rendimento da equipa foi caíndo. Eliseu entrou muito nervoso e trapalhão, tentanto fazer tudo ao mesmo tempo, e não saindo nada bem. Fábio Januário teve uma noite para esquecer, sem conseguir dar seguimento ao futebol da equipa. Quanto a Manoel, entrado para o lugar do incipiente Dady, teve pouco tempo para mostrar algo.

Curiosamente, foi no 2º tempo que o Belenenses poderia ter desfrutado da melhor oportunidade, quando José Pedro pica a bola para o interior da área e Fernando, completamente sozinho e com tempo para dominar e finalizar, cabeceia da entrada da área com pouca força e ao lado.

Nos últimos minutos, a Naval acaba por tomar conta da partida, fruto de algum desnorte da nossa equipa, e já em tempo de descontos José Pedro é expulso por ter pontapeado um adversário.

Uma nota de destaque para a fortíssima consistência defensiva, com a dupla de centrais a funcionar muito bem e Alvim a mostrar excelente rendimento no corredor esquerdo.

Em dia de festa, o ambiente entre os adeptos azuis não era propriamente o mais feliz no final da partida. A noite valeu a pena, essencialmente, pela entrega ao intervalo de distinções aos atletas campeões e internacionais e pelo desfile das filiais. Mas foi uma festa que não teve o lustro que se impunha.

sexta-feira, setembro 22, 2006

Promo (futsal): Belenenses x Fundação

Photobucket - Video and Image HostingComunicado da secção de futsal:
"O próximo sábado promete ser um dia em cheio para os Sócios e Adeptos de osBelenenses, com efeito, o Clube festeja o seu 87º aniversário e o programa das festas é bastante aliciante com natural destaque para o jogo que a equipa de Futsal disputará pelas 18h no pavilhão Acácio Rosa tendo como adversário a equipa da Fundação Jorge Antunes.

Prespectiva-se assim um sábado cheio de emoção e em que a equipa dos "Conquistadores" tudo fará para fazer jus ao nome e conquistar a primeira vitória da época. O jogo inicia-se às 18h e os Sócios de osBelenenses pagam apenas 2€, enquanto os não Sócios pagam 5€.

Contamos, mais uma vez, com o apoio e entusiasmo de todos os Belenenses para nos ajudar a conquistar a vitória. Somos uma equipa simpática mas com muita garra e vontade de ganhar e o seu apoio pode fazer a diferença.

Até sábado às 18h no Restelo ..."

Belenenses-Naval: Lista de Convocados

Blog

Guarda-redes: Costinha e Marco Gonçalves
Defesas: Sousa, Rolando, Nivaldo, Rodrigo Alvim e Gaspar
Médios: Rúben Amorim, José Pedro, Mancuso, Silas, Pinheiro e Fábio Januário
Avançados: Roma, Manoel, Dady, Fernando e Eliseu

De fora por lesão encontram-se Amaral, Djurdjevic, Romeu e Sandro Gaúcho. Cândido Costa encontra-se suspenso. De fora por opção ficaram Gonçalo Brandão e Vasco Faísca.

De regresso Eliseu, após o final do castigo a que se viu sujeito ainda ao serviço do Varzim.

Parabéns Costinha

Parabéns Costinha!!
33º aniversário
(1973-09-22)

Que faças uma grande época!


São os votos do
Blog

quinta-feira, setembro 21, 2006

Correndo na Floresta com o Fiúza

Blog

António Fiúza ia a correr pela floresta. De repente, encontra Pinto da Costa a oferecer fruta a um árbitro. Vira-se para ele e diz-lhe:
- Shô Jorge Nunos, deixe-se dixo. Venha majé correr comigo, é a única forma de deixar de se dar tantos com prostitutas.

O Pinto da Costa começou a correr pela floresta com o Fiúza, e às tantas encontram o Luís Filipe Vieira ao telemóvel com o Valentim Loureiro, a escolher árbitro para o próximo jogo, mas sem conseguir optar por nenhum. O Fiúza vira-se para ele e diz:
- Vieiras, vem daí correr connoscos, axim pode xer que fiques com mais xertezas xobre quem queres para arbitrar o teu jogos.

E lá foram Fiúza, Pinto da Costa e Vieira, correndo pela floresta fora, até que encontraram o Valentim Loureiro a falar ao telemóvel. Vira-se o Fiúza e diz-lhe:
- Shô Majores, largue o telemóvel e venha correr connoscos. Faz-lhe bem, axim escusa de estar a cansar a cabeças a fazer os arranjinhos todos da próxima jornadas.

E assim fora os 4 floresta fora, a correr. Até que às tantas encontram o Cabral Ferreira calmamente na margem de um rio. O Cabral Ferreira vira-se e diz:
- Pá, vocês são malucos? Vão todos a correr com o Fiúza??? É que o gajo vai a correr para o Jardim Zoológico! Bom, de certa maneira, deve ser a única forma de vos ver a todos atrás das grades!

Basket e Andebol

Blog

Apresentação da Equipa

A apresentação da equipa será efectuada na próxima quinta-feira (hoje), dia 21 de Setembro, pelas 12h30, na Sala de Imprensa do Estádio do Restelo, estando convidada toda a Comunicação Social escrita, rádios e televisões, assim como os patrocinadores do Basquetebol para a época 2006/2007, ficando também o convite, para que os sócios venham ver de perto os seus jogadores.

Será aproveitado o momento, para anunciar o nome que a equipa irá apresentar em competição, para além de BELENENSES, e que decorrerá da forte componente orçamental que foi conseguida pela Secção de Basquetebol.


Torneio dos Campeões

A equipa profissional de Basquetebol de «Os Belenenses» iniciará a época desportiva no próximo dia 21 de Setembro, com a realização da 1ª jornada de apuramento para o Torneio dos Campeões, organizado pela Liga de Clubes de Basquetebol, que terá lugar no Pavilhão Acácio Rosa.

A equipa dos «Guerreiros» defrontará a equipa do Queluz, pelas 21h30, sendo que, pelas 19h15, será a vez da formação do Barreirense jogar com o Benfica.

Esta 1ª jornada de apuramento para o Torneio dos Campeões, está inserida nas comemorações do 87º aniversário do Clube de Futebol «Os Belenenses» e do cinquentenário do Estádio do Restelo.

O preço único para os ingressos desta jornada dupla é de 2,5 euros, sendo que o mesmo bilhete dará acesso à 2ª jornada de apuramento para o Torneio dos Campeões, que se realizará no dia 23 de Setembro, no Pavilhão do Queluz, com os confrontos entre as equipas derrotadas e entre os vencedores, a partir das 15h00.



ANDEBOL: Belenenses venceu no recinto do Ginásio do Sul por 28-25 (Seniores)

A equipa de Andebol de «Os Belenenses» venceu a formação do Ginásio do Sul, por 28-25, em jogo correspondente à 2º jornada do Campeonato da Liga Profissional, disputado no Pavilhão do Ginásio do Sul, em Almada.

Com um início de jogo muito positivo, colocando o resultado em 4-0 a nosso favor, a equipa do Restelo, com Nelson Pina em destaque, esteve sempre em vantagem no marcador, tendo chegado ao intervalo a vencer por 15-12.

O início da segunda parte voltou a ser favorável ao Belenenses, e rapidamente a vantagem elevou-se para seis golos de diferença, com o marcador a registar 23-17.

No entanto, um período conturbado de jogo, com João Pinto a sofrer forte marcação individual e com Pedro Matias a lesionar-se e sair de jogo, levou a formação almadense a reduzir para 23-22, sendo notória a falta de experiência de alguns dos nossos jovens jogadores, quando confrontados com a «ausência» dos líderes da equipa em campo.

A recuperação do Ginásio do Sul levou a que Pedro Matias, mesmo em clara inferioridade física, regressasse ao jogo, para demonstrar toda a sua experiência e capacidade de liderança, voltando a formação do Restelo a alargar a vantagem no marcador até final da partida, para 28-25, vantagem essa que não foi maior pelo facto da equipa ter desperdiçado 4 livres de sete metros no encontro, dois deles no último minuto de jogo.

Com esta vitória, o Belenenses mantém-se no grupo que lidera o Campeonato, com duas vitórias no dois jogos realizados, e acima de tudo, mostrando grande determinação e vontade de vencer.

O Belenenses alinhou com: Humberto Gomes e João Lemos; Nelson Pina (8), João Pinto (6), João Oliveira (4), Pedro Matias (6), Tiago Fonseca (1), Pedro Lázaro (1), José Rocha (1), Bruno Moreira, Pedro Spínola, Francisco Seco (1), Rui Varela e Rúben Pereira.


fonte: site oficial

Corrida das Salésias ao Restelo

Luca

No âmbito das comemorações do Cinquentenário do Estádio do Restelo e do 87ª aniversário do Clube de Futebol «Os Belenenses» vai realizar-se no próximo dia 1 de Outubro, Domingo, pelas 10h30, uma prova de atletismo denominada «Das Salésias ao Restelo» que, como o nome indica fará a ligação entre o antigo Estádio das Salésias, situado junto da actual Escola Marquês de Pombal - e que foi inaugurado a 29 de Janeiro de 1928 tendo sido a nossa casa até ao dia 9 de Setembro de 1956 - e o actual Estádio do Restelo - inaugurado a 23 de Setembro de 1956 - numa distância de aproximadamente 2000 metros.

Este prova, marcada por um grande simbolismo histórico e sentimental para todos os adeptos e associados do Clube de Futebol «Os Belenenses» pretende ser uma grande festa azul, em que todos - «dos 0 aos 100 anos» - podem participar, seja a correr ou em ritmo de passeio, estando previsto a participação de muitos ex-atletas do clube, que marcaram a história do atletismo do Belenenses e do País.

As inscrições para esta prova podem ser feitas na Secretaria do nosso Clube ou através do e-mail: cfb.atletismo@gmail.com, sendo que o custo de cada inscrição é de 5 euros, incluindo uma t-shirt, o dorsal e o respectivo seguro.

Apareça!!! Venha participar nesta prova e traga amigos e familiares!!!


Eu estarei presente com a família em peso.

quarta-feira, setembro 20, 2006

Belenenses no Mundo - Bilbau

Blog

L.Rodrigues
João Nuno Cunha e José Manuel Cunha
Museu Guggenheim
Bilbau - País Basco
Espanha

Escrever Direito: A Inversão da Culpa

Diogo M.

Li algures o presidente do Gil Vicente fazer, de forma encapotada como é seu hábito, uma espécie de pressão sobre aqueles a quem incumbe o poder de decidir, tentando sensibilizá-los para as dificuldades por que estarão a passar os profissionais do seu clube. Parece que os jogadores e respectivas famílias atravessam, agora, um período difícil das suas sobressaltadas vidas. A eles, porque alheios ao que se está a passar e credores de todo o meu respeito, endosso a minha solidariedade e o meu pesar pelo facto de lhes estar a ser vedado um dos direitos mais básicos do ser humano, qual seja, o direito ao trabalho e, em alguns casos, a possibilidade de garantir o sustento da família.

Não podemos, no entanto e na tentativa de apontar os culpados desta situação, escamotear os factos e disparar à toa sobre aqueles que menos culpas no cartório têm. A responsabilidade de todo o futebol amador do Gil Vicente estar suspenso não é dos Tribunais. Tal como não é do Belenenses. Tal como não é da Académica ou do Vitória de Setúbal. Tal como não é nem dos políticos ou das leis que estes fizeram, nem das organizações internacionais ou dos seus regulamentos. Nem sequer é da cabala! Aliás…cabala…o que é uma cabala? Não será antes uma cavala? Ou melhor…um cavalo? Não faria melhor o Sr. Presidente do Gil Vicente se se montasse num e deixasse em paz quem tem umas quantas bocas para sustentar?

Os factos são simples, inequívocos e pouco há a dizer neste caso. Houve uns quantos clubes que, querendo a) participar em competições nacionais e internacionais de futebol e b) formar uma “associação” internacional e outras a nível nacional que fossem responsáveis pela gestão , organização e regulamentação de tais competições, decidiram instituir um conjunto de regras, imperativas para si próprios. Depois, houve uns quantos senhores (não confundir com o clube como um todo) que, sabendo das sanções que daí podiam advir, decidiu quebrar tais regras e, colocando em risco um clube e uma cidade, desafiou tudo e todos, numa guerra que, à partida, estava perdida. Pelo menos no que respeita à tentativa de não aplicação das regras por eles próprios referendadas. A questão de uma eventual ilegalidade - ainda que ela só exista nalgumas mentes mais perversas – vem depois.

A violação de tais regras constitui, não só uma traição aos demais membros mas, igualmente e neste caso, ao próprio povo de Barcelos. A sanção toda a gente sabia qual era, tal como se sabia que a mesma, muito provavelmente, iria mesmo ser aplicada.

Que não venham agora, que estamos na eminência de uma decisão judicial, ainda que preparatória ou meramente adjectiva, invocar falsas moralidades, na tentativa de induzir o julgador num sentido mais…chamemos-lhe poético. Primeiro, porque é de uma inaceitável cobardia e, depois, porque o julgador está, espera-se, imune a tais pressões psicológicas.

De nada adianta tentarem culpar-nos de estarmos a deixar pessoas na miséria, à beira do precipício. A verdadeira pobreza está nas mentes das pessoas que governam o futebol naquela cidade e que são os únicos que têm nas mãos o poder para resolver, já e a bem, esta contenda. Eles são os mentores desta lide. O mal está feito, não adianta pretenderem transportá-lo para quem para ele não contribuiu. O mínimo que se lhes exige é a assunção do erro cometido. Não desculpa mas atenua a responsabilidade.

E de uma coisa não podem acusar ninguém… é de não terem sido bem avisados das consequências.

terça-feira, setembro 19, 2006

Mexendo no Lixo

Blog

Artigo de José Diogo Quintela, publicado no Gato Fedorento:

MEXENDO NO LIXO: Este é longo, desculpem lá.

No Sábado, em Alvalade, houve um golo marcado com a mão. Apesar de o árbitro o validar, apesar de Ronny, o marcador, negar tê-lo marcado com a mão, a verdade é que o golo é irregular. É uma boa analogia para o que se passa nos bastidores do futebol português. Os tribunais consideram as escutas inválidas, a lei pode ser inconstitucional, os intervenientes podem dizer que é uma “situação normal”. Mas a verdade é que as conversas tiveram lugar e que são criminosas.

Apesar disto se passar no futebol, não é nos jornais desportivos que lemos sobre estas coisas, é noutras publicações. Por isso, num inquérito para o jornal Record, quando me perguntaram “o que gostaria de ler amanhã no Record?”, eu respondi “uma notícia qualquer sobre escutas e corrupção, que não seja primeiro dada nos jornais generalistas.”
Passados alguns dias, o director do Record, Alexandre Pais, escreveu isto:
José Diogo Quintela disse, nestas colunas, que gostaria de ler amanhã no Record "uma notícia qualquer sobre escutas e corrupção que não seja primeiro dada nos jornais generalistas". Trata-se de um desejo difícil de concretizar, pois quando o futebol perder de todo a credibilidade - traído por aqueles a quem dá de comer - aos generalistas não faltarão outros temas para exibir barba rija. Mas, morto o futebol, o Record perderá a razão de existir. Que mexam no lixo que os tribunais largaram. Nós pertencemos a um circo que vive de emoções - de golos e de erros, títulos e de frustrações. E não temos vergonha disso.”

Confesso-me espantado. Por duas razões: primeiro, por dar mais importância a esta resposta do que à que eu dou à pergunta “Morangos com Açúcar ou Floribella”, de superior interesse. Segundo, pela assunção sincera da conivência da imprensa desportiva com as burlas do futebol português.

Continua...

Há conversas (que ninguém desmentiu) em que se fala de comprar árbitros para influenciar resultados. De jogos de futebol. Que é um desporto. Coberto pelos jornais desportivos. Não totalmente, digo eu.

E Alexandre Pais vem dizer, com desfaçatez, que não vai mexer no “lixo que os tribunais largaram”. Acho que não sabe que, ao não querer falar nisso, Alexandre Pais e os outros jornais desportivos estão, no mínimo, a forrar o caixote onde está esse lixo. É que os tribunais podem ter largado o lixo, mas não foram os tribunais que o fizeram. Foram aqueles que, pelos vistos, “dão de comer” aos jornais desportivos. Curiosa expressão. Julgava que quem dava de comer eram quem pagava, i.e. os leitores.

Pelos vistos, quem dá de comer são os dirigentes a quem os jornalistas prestam vassalagem. Aliás, exagero. Não são os jornalistas. Quem, conscientemente, sonega informação aos leitores, não é um jornalista. É, porventura, um divulgador da actividade desportiva. Faz agendas e dá resultados, vá lá. E a “morte do futebol”, em vez de ser evitada por este silêncio, é ajudada.

Gosto especialmente quando Alexandre Pais diz “. Nós pertencemos a um circo que vive de emoções – de golos e de erros, títulos e de frustrações.” Para já, porque é uma afirmação peca por defeito. É preciso acrescentar que há emoções que são falsas, porque há golos roubados, erros combinados, títulos pagos e frustrações que não têm que ver com o que se passa no campo, mas sim com o que se passa num restaurante qualquer de beira de estrada, onde a um fiscal de linha é prometida uma meretriz e um telemóvel com 3G, novinho em folha.

Depois, gosto da frase porque parece estar a insinuar que quem silencia, fá-lo porque gosta de futebol. Como se nós, os tagarelas e curiosos, não gostássemos. Não só isso, estamos a contribuir para a falada “morte do futebol”. E, como tal, para o fim da razão do Record existir. Mas, tão facilmente como Alexandre Pais diz isto, eu inverto o argumento: quem não gosta de futebol e contribui para a sua morte é quem silencia, e, se é para prestar esse serviço, se calhar não faz sentido o Record existir. Quem diz Record, diz qualquer um dos outros dois diários desportivos que teimam em fingir que nada passa.

Alexandre Pais finaliza com “e não temos vergonha disso”. É de louvar a admissão, mas é redundante. Já se tinha percebido que não têm vergonha. Mas não são os únicos.

Ps – para mais informação, leiam este texto da Leonor Pinhão, n’A Bola. A parte mais sumarenta é esta:
"Há 20 anos, ou talvez mais, dois jogos decisivos da derradeira jornada de uma série qualquer dos campeonatos distritais de futebol terminaram com resultados impensáveis. Qualquer coisa como 18-6, um, e 21-7, o outro.

Na altura eu era jornalista de A BOLA. Todos os domingos recebia as chamadas telefónicas dos correspondentes locais e tomava nota dos jogos e das classificações. O despropósito dos números dos golos daqueles dois jogos motivou-me a querer saber porquê e como e quem.

A curiosidade profissional foi rapidamente satisfeita. Os dois clubes supergoleadores de terras vizinhas disputavam entre si a subida de escalão e estavam igualados em pontos a uma jornada do fim. A temporada iria resolver-se pela diferença de golos. E até nesse pormenor as duas equipas rivais tinham um score idêntico.

E todos tiveram a mesma ideia. Os guarda-redes das equipas adversárias foram amaciados, os árbitros foram sensibilizados, alguns jogadores das equipas pretendentes à subida rubricaram exibições não menos estranhas e marcaram golos na própria baliza. Os dois resultados avolumaram-se até ao ponto da demência. E porquê? Porque cada equipa tinha um espião no campo do adversário. A missão do espião era correr para o telefone do café mais próximo sempre que houvesse um golo e informar os da sua cor da marcha do marcador.
Nunca dois espiões correram tanto e telefonaram tanto. E, assim, dentro das quatro linhas os jogadores iam sabendo como paravam as modas e os golos que tinham de deixar entrar, uns, e que tinham de marcar, outros.

A história tinha pinceladas neo-realistas. Cheguei a falar com algumas testemunhas dos acontecimentos e houve uma (torcia pelo clube que acabou por ficar em segundo lugar e não subir) que me garantiu ter a GNR ajudado o clube adversário ao disponibilizar ao espião os meios sofisticados de comunicação telefónica da sua carrinha destacada para manter a segurança pública do espectáculo.

Recolhida esta primeira dose de informação dirigi-me ao mítico chefe de redacção de A BOLA, Vítor Santos, e, contando o que já sabia, pedi autorização para me deslocar até às duas localidades em questão para fazer uma reportagem.
Para fazer o quê? — perguntou o meu chefe.
Uma reportagem. Falar com os dirigentes, com os jogadores, com os espectadores
Pois, pois
— Ia eu e um fotógrafo. É uma grande história, chefe! — insisti num entusiasmo pueril.
Mas não tive sorte nenhuma.
— Sabes, rapariga, eu acho melhor não tocar nisso — disse-me o Vítor Santos. Olhou-me nos olhos, inclinou-se para trás na sua cadeira de chefe e cruzou as mãos em cima da barriga.
Não tocar nisso? — Nem ao de leve. Essas coisas existem, sempre hão-de existir mas torná-las públicas faz mal ao futebol e nós, jornalistas, não podemos fazer mal ao futebol." ZDQ

Eu (não) quero um patrocinador

L.Rodrigues

É um regalo para os olhos ver o equipamento da nossa equipa neste início de temporada: fiel às nossas cores e sem patrocínio, tem um glamour pouco habitual. Pena é que o glamour não pague ordenados....

Com toda esta confusão do “Caso Mateus” e a já planeada saída do Montepio Geral como principal sponsor da nossa equipa, o Belenenses acaba por entrar na competição sem que o assunto do patrocinador principal esteja resolvido. Resultado normal das circunstâncias, mas também agravado por um dos factores pelo qual mais me tenho batido no clube: a falta absoluta de uma política de angariação e acompanhamento de patrocinadores, estrutura essa que facilmente se paga a si própria e poderia exponenciar as receitas publicitárias da nossa equipa quer em termos de sponsorship, quer em termos de merchandinsing.

Agora repara-se bem em que condições estamos a negociar com potenciais patrocinadores:
- sob pressão, o outro lado sabe que precisamos desesperadamente de um patrocinador
- com a redução do campeonato, são menos 4 jogos por temporada
- como já jogámos 2 jogos sem patrocinador, esta temporada já vamos em menos 6 jogos, quase 20% da exposição que o patrocinador teria em anos anteriores (não é assim tão linear, como é óbvio, mas é mais um handicap)
- ao invés do normal, em que a equipa tem o patrocinador definido em Julho, neste momento já perdemos 2 a 3 meses de exposição em termos temporais
- por sorte, nenhum dos 2 jogos até agora efectuados foi transmitido na TV, obviamente os jogos mais apetecíveis ao potencial patrocinador

Resumindo, a nossa posição parecerá um pouco fragilizada. De modo a reduzir essa fragilidade, o melhor será tentar encontrar um parceiro que se pretenda manter por vários anos, e pretenda estabelecer uma relação duradoura e de confiança de parte a parte.

De qualquer forma, estas camisolas sem patrocinador são absolutamente deliciosas...

L.Rodrigues